Unick Forex trava plataforma e pede mais tempo para responder a acusações da CVM

Clientes pressionam Unick Forex sobre falta de pagamentos em evento da empresa
Danter Silva durante apresentação da empresa (Foto: Divulgação)

Com atrasos nos saques há dias e promessas que parecem não convencer mais seus investidores, a Unick Academy (antiga Unick Forex) está com seu sistema parado e só tem previsão de retorno no dia 14. Ao mesmo tempo a empresa solicitou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um termo de conduta.

A empresa tinha até o dia 20 agosto para apresentar uma resposta à Comissão Valores Mobiliários (CVM) sobre a sua atuação irregular no mercado. A Unick, entretanto, resolveu na terça-feira (06) ganhar mais tempo e solicitou ao órgão um termo de compromisso.

O conteúdo desse termo de compromisso é desconhecido, mas pode trazer um ganho de tempo para a empresa que vem enfrentando problemas para pagar seus clientes, pois terá de ser analisado pelo órgão regulador.

A Unick Forex chegou a emitir um comunicado aos seus investidores de que estaria passando por manutenção em seu sistema e com isso justificar mais uma vez essa situação de falta de pagamento dos investidores.

No site não há sequer a informação de saldo dos seus clientes, os quais se deparam com a mensagem de que “algumas opções do menu estão temporariamente desabilitadas”.

Promessas da Unick Forex

A Unick, na última sexta-feira (02), apresentou uma live na qual fez mais uma vez a promessa de esclarecer o que estava acontecendo com a empresa.

A questão, no entanto, é que nada foi resolvido. No dia seguinte da live, um homem chamado Itamar Bernardo Lopes divulgou um áudio no qual afirma que os pagamentos ficarão congelados, enquanto a página estiver em suposta manutenção.

“Durante esse período de dez dias que a empresa vai ficar em off, só estará funcionando a plataforma Smith(…) Mas pagamentos que estão em processamento ou que já passaram agora nesses últimos 3 ou 4 dias do prazo, eles também vão estar congelados”.

Lopes disse que apesar desse atraso tudo estaria de acordo com o contrato, pois a empresa estaria passando por problemas na plataforma de pagamento.

“Peço que leiam o contrato onde lá está especificado que o prazo é de 12 dias úteis, mas também podendo vir a ter atrasos devido a alguns funcionamentos como plataformas ou questões bancárias”.

Ganhando tempo

Essa não é a primeira vez que a Unick resolve estender seu prazo para efetuar os pagamentos de seus clientes.

Antes de haver essa manutenção no site, eles argumentaram que Urpay é que era a responsável pelo atraso. A empresa de solução de pagamentos negou, contudo.

Marcos Prata, do departamento jurídico, chegou até a anunciar a criação de um banco. O que ele depois afirmou que nunca aconteceu, mesmo tendo veiculado o seu vídeo no Youtube com a tal promessa.

Nesse mesmo tempo, a empresa prometia revolucionar com seus cursos sobre investimentos, os quais passariam a ser acessado por meio da plataforma Smith.

Mesmo com atrasos, a empresa investiu nessa empreitada que no dia da inauguração não funcionava e nos dias seguintes só tinha um curso disponível.

Enquanto isso, as queixas no Reclame Aqui só têm aumentado e a credibilidade da Unick reduzindo. São 5.142 reclamações ao total, dessas 4.167 por questões financeiras.

Processo na CVM

A Unick está respondendo um processo administrativo sancionador na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na última terça-feira, a empresa solicitou um termo de compromisso à autarquia, que deverá analisar o pedido.

Esse processo foi instaurado pela CVM contra a Unick, após o órgão apurar indícios de que a empresa vinha atuando de forma irregular no mercado.

A autarquia apurou que a Unick Forex vinha ofertando investimentos e captando pessoas no Brasil sem autorização devida da CVM sob a promessa de altos rendimentos, indo de 1,5% a 3% ao dia, até que o capital fosse dobrado, conforme foi apontado. no memorando nº 167/2018-CVM/SMI/GME, assinado pelo Gerente de Estrutura de Mercado e Sistemas Eletrônicos, Érico Lopes dos Santos.

Esse documento foi o que fundamentou o atual processo administrativo sancionador, após o colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ter mantido a decisão tomada pela Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) em suspender a oferta pública de ativos pela empresa.

Situação complicada

O órgão regulador levantou então a suspeita de que o negócio poderia se tratar de um esquema de pirâmide e resolveu remeter as provas para o Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul. O procurador Celso Tres passou então a investigar a empresa.

Atualmente, a Unick passou a se chamar Unick Academy e a não oferecer, ao menos abertamente, os lucros altos como fazia logo que ingressou no mercado.

Ela se define como uma empresa de educação financeira e sustenta que nunca foi uma empresa de investimentos, mesmo isso constando no processo administrativo da CVM.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!