Roleta: como fazer batota e enganar o casino

Conheça as principais técnicas e métodos para tentar enganar os casinos ao jogo da roleta, ilegais ou no limiar da legalidade

Batota no jogo da roleta: verdade ou mito?

A roleta é um dos mais antigos jogos de casino, do qual se diz que é impossível vencer ou adivinhar, de forma consistente, qual será o resultado. Com o surgimento da internet, os casinos online transpuseram esta tradição de jogo para o mundo virtual; atualmente é possível encontrar um bom site para jogar roleta através de algumas pesquisas no Google.

Para jogar de forma isenta, é fundamental que todo o sistema da roleta funcione sempre de forma verdadeiramente imparcial. Jogue aqui para encontrar bons exemplos de plataformas de roleta credíveis e confiáveis. Mas será possível fazer batota ao jogo? Que o casino pode enganar os jogadores, sabemo-lo desde sempre; até nos álbuns de banda desenhada de Lucky Luke podíamos ver Joe Dalton, o fora-da-lei, no papel de “croupier”, a utilizar um pedal numa roleta viciada. Mas e se fosse ao contrário?

Veja em seguida, numa perspetiva inteiramente académica e teórica, os meios ilícitos ao alcance dos jogadores para vencerem o casino na roleta.

Métodos ilegais: subornar o “croupier”

Existem várias formas ilegais de “aldrabar” o casino (para usar uma expressão popular), mas todas elas têm algo em comum e poderiam reunir-se numa só: a cumplicidade com o “dealer” responsável pela roleta. Por amizade ou por suborno, a corrupção é a condição comum a todos os métodos que descreveremos em seguida. Alguém deles podem implicar o suborno de outro pessoal do casino, que não o “croupier”.

Aposta fora de tempo

O método mais óbvio é fazer uma “aposta” já depois de a bola ter parado. Pode acontecer que o “croupier” não esteja atento, mas o mais provável é que esteja corrompido e faça “vista grossa”, caso uma situação destas não seja detetada. A vigilância eletrónica (vídeo) torna este método inviável na atualidade.

Top Hatting

Consiste em adicionar fichas a uma aposta já colocada. Mais uma vez, sem a colaboração do “croupier”, a técnica é difícil; e com os seguranças a vigiar atrás das câmaras, é praticamente impossível.

Ball Tripping

Imagine que uma agulha surge de forma muito discreta na trajetória da bola de forma a interferir no seu movimento. Teria sido necessário que o “croupier”, nas horas de fecho do casino, tivesse criado um intrincado sistema na roleta, com uma alavanca que pressionasse a agulha; e seria também precisa muita perícia para conseguir desviar a bola com precisão. O “ball tripping” é de execução muito difícil, mas já foi tentado.

Roda viciada

Já vimos que é possível viciar a roda; basta que o “croupier” colabore e se conluie com um jogador. Colocar pesos, adulterar o eixo da roda com um ligeiro desaperto ou modificar de forma impercetível o tamanho das casas são algumas possibilidades.

Bola viciada

Tal como é possível viciar dados, também uma bola pode ser fabricada de forma a que o seu comportamento não seja inteiramente dependente do lançamento manual do croupier – mas é sempre necessário que este substitua a bola do casino por uma bola viciada. O uso de meios magnéticos é uma possibilidade real.

Métodos “legais”

Existem outros métodos que podem ou não ser ilegais, dependendo da legislação em vigor em cada país.

Estatística (wheel clocking)

Se uma roleta estiver viciada por causas naturais (isto é, fruto do desgaste causado por uma utilização prolongada), é possível determinar quais as casas com maior probabilidade de acolher a bola. Supondo que um observador se dedica a registar 1000 lançamentos consecutivos de uma mesa de roleta; sabendo que a probabilidade média de cada casa é de conseguir 27 bolas, se algumas delas conseguirem um resultado muito superior, isso será um sinal de um problema técnico com a máquina.

Contudo, os casinos modernos investem bastantes recursos na manutenção das suas mesas de jogo, precisamente para evitar este tipo de situação.

Previsão ou determinação (computador)

Ficou célebre o caso, relatado em 2004, de um grupo de três jogadores, oriundos da Europa de Leste, que “lesaram” o casino do Ritz, em Londres, em mais de £1,3 milhões (1,5€ milhões ao câmbio atual). Os jogadores terão utilizado um sistema eletrónico, aparentemente camuflado em telemóveis e recorrendo à leitura a laser, que conseguia prever com grande precisão o número onde a bola iria cair, ao medir a velocidade e a trajetória que a bola levava ao fim de duas voltas. O próprio jornal “The Guardian”, um dos mais prestigiados do Reino Unido, relatou o caso, acrescentando que as leis da época não previam este tipo de situação, pois datavam… do século XIX.

Independentemente do que a legislação disser, é muito provável que os próprios casinos tenham regras próprias a impedir o uso de equipamentos eletrónicos nas suas salas.

Será possível enganar o casino em jogos de roleta ao vivo?

Tratando-se de uma mesa de roleta física, quase todos os métodos acima são, teoricamente, possíveis. Excluem-se aqueles que implicam a falsificação das apostas, já que no casino ao vivo elas são colocadas online. Contudo, se uma mesa de roleta “normal” já é escrutinada pela segurança de um casino, nos jogos de casino ao vivo essa atenção é ainda mais intensa, pois o “croupier” não divide o espaço com ninguém. Seria necessário um “croupier” corrompível e com o talento de um excelente ilusionista para ter sucesso nesta situação.

E quanto aos jogos de roleta em casinos online?

Aqui é praticamente impossível, pois a roleta baseia-se não num sistema físico mas num software do tipo “Random Number Generator” (Gerador de Números Aleatórios), totalmente controlado pelo casino. A única (e remota) hipótese seria, novamente, a corrupção: não do “croupier” mas do(s) engenheiro informático(s) responsável(eis) pelo software da roleta.

Em todo o caso, a nossa sugestão vai no sentido de não experimentar nenhum destes métodos, pois poderiam trazer-lhe sérias dificuldades legais! Em vez disso, use as suas técnicas de aposta tradicionais para melhorar as suas chances de ganhar na roleta.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!