Quais os fatores que determinam o preço do bitcoin e das criptomoedas

Quais os fatores que determinam o preço do bitcoin e das criptomoedas
Foto: Shutterstock

À medida que o setor continua apresentando grande volatilidade, várias pessoas têm se perguntado sobre o que influencia o preço das criptomoedas.

Num dia a moeda vale uma quantia X em dólar e no dia seguinte vale 20% a mais. Com base nessa dinâmica, você pode estar se perguntando:

  • Como é possível que os preços continuam mudando tanto?
  • O que determina o preço das criptomoedas?

Bem, há uma variedade de fatores que influenciam individualmente o preço das criptomoedas. Eles incluem:

  • Dinâmica de oferta e demanda
  • Contagem de nodes
  • Inflação de moedas fiduciárias
  • Adoção em massa
  • Regulamentação
  • Custo de produção

Demanda crescente

Graças às grandes trocas online, a utilidade das criptomoedas aumentou dramaticamente. Essa crescente da sua aplicabilidade contribuiu para o aumento do valor de mercado das criptomoedas nos últimos anos.

Da mesma forma, é importante observar que o crescimento considerável na popularidade e na adoção de criptomoedas por várias empresas resultou também em um interesse por parte do governo, o qual tem cada vez mais investido em pesquisa e desenvolvimento no uso de criptomoedas.

De uma perspectiva geral, a dinâmica da oferta e demanda desempenha um papel central na determinação do valor de qualquer mercadoria. 

Criptomoedas não são exceção. Para exemplificar, vamos considerar uma situação em que mais pessoas estão tentando comprar Bitcoin, enquanto poucas estão abertas a vendê-los. 

Nesse cenário, o preço já tenderá a aumentar. Contudo, adicione a esse contexto a informação de que as criptomoedas são caracterizadas por oferta limitada e ficará ainda mais evidente porque o aumento da popularidade tem aumentado os preços.

Dito isto, se uma moeda é afetada por escândalos de grande proporção, como ataques de hackers ou suspeita de fraude, a demanda por ela pode cair drasticamente. E isso pode levar a um efeito dominó, que terá como resultado a queda do seu preço.

Em alguns casos, esses eventos podem ter efeito de maior magnitude, afetando não somente uma única criptomoeda, mas o mercado como um todo.

Um exemplo clássico é o caso da depreciação do preço do Bitcoin, que em mais de uma ocasião resultou na correção de todo o mercado de criptomoedas.

Contagem de nodes

A contagem de nodes refere-se ao número de carteiras ativas em uma determinada rede que podem ser identificadas por meio de uma pesquisa na Internet ou na página de uma moeda.

Por esse motivo, a contagem de nodes é um bom indicador do valor de uma criptomoeda. Se você deseja descobrir se uma determinada criptomoeda está com um bom preço, pode-se analisar a contagem de nodes e o valor total da sua capitalização de mercado para, em seguida, realizar uma comparação com outras moedas digitais.

Embora essa seja uma abordagem para determinar se uma dada moeda está sobrecomprada, a contagem de nodes também demonstra quão forte é a comunidade de uma criptomoeda.

Quanto maior o número de nodes, mais robusta é sua comunidade. E a força de uma criptomoeda tem uma correlação direta com seu preço.

Inflação de moedas fiduciárias

Uma queda no preço de uma moeda fiduciária tem um impacto oposto no preço das criptomoedas. Na maioria dos casos, o valor da moeda fiduciária diminui como resultado da inflação. No entanto, há situações em que o governo realiza a impressão de dinheiro novo, o que também resulta no declínio do valor de sua moeda.

Portanto, em um situação em que há uma oferta ilimitada de uma moeda fiduciária, os juros, a demanda e o buy-in de criptomoedas que são caracterizadas por oferta limitada aumentam exponencialmente, o que, por sua vez, aumenta seu preço.

Adoção em massa

Se uma moeda alcançar adoção em massa, seu valor poderá aumentar dramaticamente. Conforme citamos anteriormente, este aumento está relacionado ao fato de o número total de moedas digitais ser limitado.

Por esse motivo, um aumento na demanda resulta em um aumento igual no preço.

Regulamentação

A possibilidade de supervisão pelos governos é muito alta caso as criptomoedas sejam adotadas de maneira generalizada.

Com a regulamentação, há também uma chance de que as criptomoedas acabem sofrendo uma centralização. Esse aspecto também teria um impacto no preço.

No setor de criptomoedas existe a preocupação de que as transações poderão ser reduzidas e controladas como resultado desse tipo de supervisão, uma vez que os governos podem argumentar que as moedas digitais não oferecem adequada segurança. 

De fato, algumas instituições podem até proibi-las. A Rússia e a China são exemplos de países nos quais houve tentativas de proibição.

Custo de produção

Os custos diretos bem como os custos de oportunidade relacionados à produção de uma moeda desempenham um papel crucial na determinação do preço das moedas digitais.

Veja o Bitcoin, por exemplo. Esta moeda é caracterizada por um alto custo de produção. 

Este custo está largamente associado aos recursos e a energia que são investidos na mineração de Bitcoin, e que fazem deste um bem tão valioso.

Isso inclui as despesas de produção de hardware especializado, como GPUs ou servidores, bem como os sistemas de refrigeração para esses equipamentos.

Além disso, o funcionamento desses sistemas incorre em custos significativos de energia. Dados mostram que as despesas com eletricidade da mineração de Bitcoin variam entre US$ 400 milhões e US$ 6,2 bilhões por ano.

Enquanto a maioria das pessoas pode argumentar que a mineração de Bitcoin seria um desperdício de energia, ela continua sendo a única maneira de fornecer segurança aos usuários.

Essencialmente, a mineração é a razão pela qual as criptomoedas são descentralizadas. No entanto, há esforços contínuos para tornar todo o processo mais eficiente.

Sobre o autor

Fares Alkudmani é formado em Administração pela Universidade Tishreen, na Síria, com MBA pela Edinburgh Business School, da Escócia. Desde janeiro de 2019, atua na empresa de criptomoedas Changelly como gerente geral para a América Latina.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!