Proibida pela CVM, Unick Forex faz palestra em universidade pública

Advogados da Unick Forex oferecem devolução parcelada de 20% do investimento de clientes
Foto: Danter Silva, diretor de marketing da empresa de Novo Hamburgo (Foto: Reprodução)

A Unick Forex, empresa suspeita de atuar como pirâmide financeira pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), realizou no dia 20 de junho uma palestra na Universidade Federal de Roraima supostamente para falar sobre inclusão digital.

Conforme o evento anunciado na página da empresa no Facebook, estavam presentes Danter Silva, diretor de Marketing; Marcos Prata, do departamento Jurídico; e Marcos Kronhardt, diretor de Operações.

Segundo o texto, eles foram a Boa Vista, a capital do Estado, para uma apresentação sobre a integração das áreas do Mercado Global, Direito Digital e da Tecnologia da 4ª Revolução Industrial.

Danter, que é réu num dos processos movidos pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul por captar clientes para a pirâmide financeira D9, foi entrevistado pela afiliada da rede Globo de Roraima.

Em sua fala, ele destaca que o tema principal da palestra é “como a blockchain vai dominar o mercado mundial”.

Problemas da Unick Forex

Desde o ano passado, a Comissão de Valores Mobiliários vem fazendo sucessivos alertas sobre a atuação irregular Unick Forex. No total, foram três avisos até o momento.

O último foi no final de abril. Conforme o órgão que regula o mercado de valores mobiliários no Brasil, a empresa não pode ofertar produtos de investimento sem autorização.

Depois de uma análise da área técnica, as irregularidades foram encaminhadas ao Ministério Público Federal, que vai investigar o caso.

Esse já é o terceiro alerta da CVM sobre a Unick. O primeiro, em março de 2018, alertava sobre a atuação irregular da empresa e acusava diversas pessoas como Leidimar Bernardo Lopes (atual presidente) e Israel Nogueira (departamento de comunicação e tecnologia) de captar clientes irregularmente através do site para realização de operações no mercado de valores mobiliários.

Com a determinação da imediata suspensão de qualquer oferta pública de oportunidades de investimento, foi estipulada uma multa cominatória diária no valor de R$ 1.000,00 caso não fosse cumprida.

Mais problemas

Mesmo com a multa, a Unick Forex não deixou de continuar a fazer oferta pública de oportunidades de investimento.  

A decisão tomada pela Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) em suspender a oferta pública de ativos pela empresa, foi confirmada pelo colegiado em novembro de 2018, mas nem isso fez com que a Unick Forex parasse com suas atividades.

Nesse período, ela passou a ser investigada pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul por suposta atuação em esquema de pirâmide financeira.

A empresa sustenta que vende essencialmente “conteúdo sobre o mercado financeiro”, e que os recursos angariados são aplicados no mercado financeiro em nome da Unick e os retornos deles obtidos são, em parte, utilizados para remunerar os “parceiros”, em estrutura de marketing multinível.

O procurador Federal Celso Tres que vinha também investigando a Indeal afirmou ao Portal do Bitcoin que havia indícios de essa empresa estar atuando em esquema piramidal.

Ele disse também que o fechamento do escritório em Crissiumal “foi porque a empresa não tinha autorização da CVM para captar clientes no Brasil”.

Três pessoas que atuavam nesse escritório chegaram a impetrar um Mandado de Segurança para que o escritório fosse reaberto sob a argumentação de que a empresa atua de forma regular e que não depende da autorização da CVM para manter suas atividades.

A Justiça do Rio Grande do Sul, no entanto, negou o pedido e assim manteve o escritório fechado bem como a prisão cautelar dos três envolvidos.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!