Polícia de São Paulo encontra mineradora de bitcoin do PCC

(Foto: Reprodução/RedeTV)

A Força Tática da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) recebeu uma denúncia anônima e localizou uma mineradora de bitcoin que pertence a membros do PCC, uma das maiores facções criminosas do país.

Segundo a denúncia anotada pela PM, a mineradora era usada por membros da organização para lavar dinheiro oriundo de atividades ilícitas. A reportagem foi mostrada no programa Operação de Risco da Rede TV! que foi ao ar no domingo (03).

Apresentado por Jorge Lordello, que é advogado e especialista em segurança, o programa falou com dois dos policiais que participaram da operação, até então, atípica para eles. “Você já tinha se deparado com algo nesse sentido?”, perguntou Lordello.

“Não. A ocorrência com esta especificidade eu nunca deparei. Nem eu nem os policiais que estavam comigo nos deparamos com uma ocorrência do tamanho e sofisticação do crime”, respondeu o tenente Goulart.

O policial disse que normalmente quando eles têm operação em uma casa protegida por criminosos, chamadas de “casas-bomba”, eles encontram armas, drogas, dinheiro, sendo esta, a primeira vez que eles se deparam com este tipo de produto.

“O crime migrou, ele sofisticou. É um crime bem organizado, bem complexo. Na verdade ele transformou o dinheiro ilícito de tráficos e roubos em bitcoin”, disse o outro policial, cabo Samuel.

Mineradora era monitorada

Depois de receberem informações pelo Disque-Denúncia de que uma pessoa filiada a uma facção criminosa de São Paulo mantinha uma casa com ilícitos, os policiais seguiram para o local (não identificado nas imagens) que foi cercado e a casa invadida.

A reportagem mostra que as portas estavam fechadas, mas não trancadas, o que facilitou a entrada dos policiais. Não havia ninguém na residência.

Ao adentrar, um dos cômodos da casa revelou um equipamento típico de mineração de bitcoin — o local supostamente estava sendo monitorado à distância por uma câmera de vigilância, instalada discretamente como lâmpada.

Por ser uma abordagem incomum na rotina dos policiais, eles enviaram fotos do equipamento a um especialista que confirmou que se tratava de uma mineradora de criptomoedas. Também foram encontrados um notebook, um cofre e uma maquininha de cartão.

Whatsminers M3, próprio para mineração de bitcoin, apreendidos pela polícia (Imagem: Reprodução)

Local seria ampliado

Segundo os policiais, várias mudanças na estrutura da casa estavam em andamento, possivelmente para a implantação de ar-condicionado e ampliação do negócio — as janelas já haviam sido arrancadas e fechadas em alvenaria, bem como cabos de internet distribuídos.

A polícia recolheu, então, todos os equipamentos e os levou para o 47º Departamento de Polícia de Capão Redondo, bairro da Zona Sul de São Paulo.

Líder do PCC está em presídio federal

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) autorizou os governos federal e de São Paulo a transferir Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, e mais 21 integrantes da facção criminosa para presídios federais.

A remoção foi realizada no dia 13 de fevereiro e eles foram levados da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau e de Presidente Bernardes, municípios do interior do estado, para presídios federais em Brasília, Mossoró (Rio Grande do Norte) e Porto Velho (Rondônia).

De acordo com o despacho do juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci, titular da 5ª Vara das Execuções Criminais Central, em 09 de fevereiro, a decisão foi tomada em ação do Ministério Público do Estado de São Paulo depois da identificação de um plano de resgate dos presos.

O que é mineração de Bitcoin


Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br