O que significa a recente alta do Indicador de medo das criptomoedas?

Foto: Shutterstock

O indicador de “medo e ganância” de criptos leva em conta 6 fatores: volatilidade, momento/volume, redes sociais, pesquisas quantitativas, dominância e pesquisas no Google. No site (em inglês) há um histórico do índice desde Fev/2018, que por sinal foi um período de pico, sinalizando “extremo medo” dos investidores na época. É possível encontrar no site a metodologia detalhada e peso de cada um dos fatores.

Fonte: Alternative.me

O que este “extremo medo” significa?

Este indicador tenta descrever a situação recente, uma vez que os dados coletados refletem o sentimento dos investidores causada pelo mudança nas cotações. Como a capitalização total de mercado cedeu de US$ 317 milhões pra atuais US$ 265 (-17%) nos últimos 8 dias, é natural que o povo tenha desanimado. A ideia do indicador é procurar sinais de exagero pra ambos os lados, seja no otimismo ou pessimismo.

Como estamos em relação aos demais momentos de pânico?

Ao longo da existência deste índice tivemos 3 momentos similares ao que assistimos na quarta-feira (14/Ago). Foram eles: 5/Fev/2018 (crash de 37% em 2 dias), 23/Nov/2018 (crash de 33% em 10 dias) e 7/Dez/2018 (crash de 23% em 6 dias). Em todos os casos, a recuperação total da queda ocorreu em menos de 6 meses, conforme gráficos abaixo:

O indicador marca o fundo?

Não, de maneira alguma. Na maioria das vezes ele marca o início de um quadro de pânico, que pode durar menos de 1 dia, como no exemplo de Fev/2018, até longos invernos de 6 meses, como o período iniciado em Nov/2018. De qualquer maneira, trata-se de um bom momento para acelerar o ritmo de compras, de acordo com seu perfil de risco. Abaixo vamos detalhar a estratégia de acordo com os 2 horizontes distintos de investimento:

Médio-longo prazo (6+ meses):

Deve comprar 1/3 da posição ao longo das primeiras 48hs e aguardar 2 semanas pra entender se há espaço pra uma nova queda. Só então deve decidir dobrar ou não a compra. Veja bem: isto deve ocorrer independente do movimento de alta/queda. Neste caso, conta mais o noticiário e o desenvolvimento deste indicador de “medo e ganância”.

Curto prazo (0 – 3 meses):

Não tente adivinhar o fundo. Pelo contrário: entre com 50% da posição no primeiro repique de 15% do fundo e adicione novamente quando já tiver ganhando 10%. É pra fazer o oposto do que seus instintos dizem, ou seja, comprar na alta e continuar comprando após subir. A idéia é evitar ser stopado (liquidado), por isto é crucial não tentar pegar a faca caindo.

Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017 faz arbitragem e trading de criptomoedas, além de ser cofundador do site de análise de criptos RadarBTC

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!