O Bitcoin é uma forma de utopia econômica?

(Foto: Shutterstock)

No final de Maio de 2018 publiquei aqui no Portal do Bitcoin o artigo “De Onde Vem e para Onde Vai o Preço do Bitcoin?” onde expliquei que o valor de qualquer coisa vem fundamentalmente do que você pode fazer com isso. Essa utilidade traz um desequilíbrio na relação de oferta e demanda e seu ajuste provocará o aumento ou queda no valor desta coisa.

No presente artigo quero esclarecer ainda mais este ponto, mostrando mais detalhes de como funciona a variação do preço de uma moeda. Afinal, temos o Bitcoin cotado em relação a diversas outras moedas assim como temos o Real Brasileiro para o Dólar, para o Euro. Se o Bitcoin é uma moeda, seu correspondente valor de troca por outra, mesmo que ainda seja Fiat também é chamado de taxa de câmbio. Parte dos exemplos que uso como fonte para a explicação da variação entre o Dólar e o Euro foi resultado de uma pesquisa no site do Instituto Mises Itália.

O que determina a taxa de câmbio entre duas moedas?

O interessante é que estas taxas parecem se mover dependendo de tantos fatores que é quase impossível saber em que direção elas vão estar num futuro próximo. Mas, ao invés de prestar atenção à multiplicidade de variáveis, é mais sensato concentrar-se na variável essencial que é a mudança relativa no poder de compra de vários produtos.

Um exemplo? Se o preço de uma cesta de mercadorias nos Estados Unidos é de 1 dólar e na Europa uma cesta idêntica de mercadorias é vendida por 2 euros, então a taxa de câmbio entre o dólar americano e o euro deve ser de dois euros por um dólar.

Outro fator a considerar na determinação do poder de compra do dinheiro é a oferta monetária. Se, ao longo do tempo, a taxa de crescimento da oferta monetária dos EUA exceder a taxa de crescimento da oferta monetária europeia, mantendo-se as outras coisas constantes (o famoso ceteris paribus), isso colocará o dólar sob pressão.

Como o preço de um ativo é a quantia em dinheiro que serve para adquiri-lo, isso significa que os preços dos bens em dólares aumentarão mais rapidamente do que os preços em euros, considerando os demais fatores constantes.

Lembra da Oferta x Demada?

Outro fator importante para direcionar o poder de compra de uma moeda e da sua taxa de câmbio é a demanda por dinheiro (entenda mais sobre oferta x demanda neste vídeo). Por exemplo, com um aumento na produção de bens, a demanda por dinheiro se seguirá – por isso o aumento do PIB gera um fortalecimento da moeda.

A demanda por meios de troca, ou seja, dinheiro, aumentará à medida que mais mercadorias tiverem que ser trocadas. Como resultado, por um determinado montante de dinheiro, o poder de compra da moeda aumentará. Menos dinheiro estará à procura de mais bens guarde bem esta frase pois ela é a chave para tudo.

Digamos que o FED (Banco Central dos Estados Unidos) aumente sua taxa de juros enquanto o banco Central Europeu mantém sua taxa inalterada. Como escrito acima, se o preço de uma cesta de mercadorias nos Estados Unidos é de um dólar e dois euros na Europa, a taxa de câmbio da moeda deve ser de um dólar por dois euros, de acordo com o quadro de poder de compra. Após uma expansão do diferencial da taxa de juros entre os Estados Unidos e a Zona do Euro, um aumento na demanda por dólares eleva a taxa de câmbio do mercado para um dólar por três euros.

Neste cenário o dólar está agora supervalorizado, conforme descrito pelo poder de compra relativo do dólar em relação ao euro. E nessa situação o detentor de dólares aumentará sua demanda por euros para lucrar com a arbitragem e tornará o euro mais caro em termos de dólares – empurrando a taxa de câmbio para cima. Claro, tudo isto acontece tão rapidamente que é por isso que temos as variações diárias no mercado de câmbio. Quando fatos relevantes acontecem, como o anúncio na mudança da taxa de juros de um Banco central, o mercado se move quase instantaneamente baseado no fenômeno descrito acima, precificando toda a expectativa decorrente de tal evento.

Vamos à reflexão

Onde estava escrito dólar ou euro, substitua por Bitcoin. Faz sentido? Do ponto de vista teórico faz. Do ponto de vista prático ainda não temos o Bitcoin sendo usado para comprar uma cesta de produtos. Ou usado como referência para uma cesta de produtos. Isto é ruim? Não, necessariamente. Se isto for um obstáculo a jamais ser superado, para o crescimento do Bitcoin será realmente muito ruim. Entretanto o dia que este obstáculo for ultrapassado o cenário muda totalmente.

Por quê? O Bitcoin não sofre aumento da base monetária nem variação da taxa de juros de um banco central. Não há inflação. Menos Bitcoins estarão sempre a procura de mais bens. A expansão da taxa de câmbio contra as moedas fiat explodirá e John Macfee poderá manter seu documento em paz (que em teoria era para ter cortado).

Utopia econômica? Libertarianismo puro? O tempo dirá. Na dúvida, minha preocupação é sempre aumentar a quantidade de Sathosis que possuo.