Mudança no KYC na Binance, Kraken, Bitfinex e HitBtc é menor do que diz Atlas Quantum, revela site

Mudança no KYC na Binance, Kraken, Bitfinex e HitBtc é menor do que diz Atlas Quantum, revela site
Foto: Shutterstock

Uma reportagem do site BitNotícias revelou que o tempo de atualização de KYC em algumas das maiores corretoras de mundo é de máximo sete dias. A informação contradiz as alegações da Atlas Quantum de que o tempo necessário era de 30 dias.

O site entrou em contato com a Kraken, Binance, Hitbtc, Bitifinex, Cex.lo, EXMO, Poloniex e Tidex, que constam na lista da Atlas, não foram encontradas.

A apuração foi feita por meio de entrevistas por telefone, email e pelos chats de atendimento das referidas exchanges.

A Atlas vinha argumentando que, após a notificação da CVM que a proibiu de ofertar os serviços de arbitragem, os saques foram travados porque o alto volume levantou suspeitas das exchanges no qual o suposto robô operava. Assim, como os cadastros eram antigos, havia a necessidade de um novo KYC.

O KYC, sigla para os termos em inglês ‘Know Your Customer’, que traduzido é ‘Conheça Seu Cliente’, é uma apuração específica da área de Compliance de uma empresa cujo objetivo é prevenir fraudes.

Tempo é curto em exchanges

Segundo o BitNotícias, a Kraken, exchange de criptomoedas com sede em São Francisco, Califórnia (EUA), disse que todo o processo de KYC de empresas com alto volume de negociação pode levar até 5 dias, mesmo sendo realizado manualmente. 

Acrescentou, ainda, que em caso de necessidade de alguma revisão o prazo pode se estendido, mas apenas por mais alguns dias.

Conforme a reportagem, “tanto a Binance quanto a HitBTC afirmaram que o processo é muito rápido. No caso da Binance, geralmente, leva de 1-3 dias, podendo levar até uma semana”.

Processo contínuo

De acordo com a reportagem, o processo de KYC na Bitfinex, umas das maiores exchanges do mundo, promove uma segurança contínua para ambos — plataforma e clientes — para não deixar o sistema estático.

Stuart Hoegner, do Conselho Geral da Bitfinex, disse que o processo independe do tamanho e volume da empresa, ressaltando que “todos os clientes devem estar sempre em conformidade com os termos de serviço exigidos para poder negociar na exchange”.

Da mesma forma trabalha a equipe da Cex, exchange do Reino Unido que também atende em algumas jurisdições nos EUA.

Conforme apurou o BitNotícias, Serhii Mokhniev, Consultor de Assuntos Regulatórios da empresa concordou com Hoegner e disse que o KYC não é um processo único, mas contínuo. Para a Cex, “todos os documentos no perfil do cliente devem estar atualizados o tempo todo”.

Já a EXMO, também exchange do reino Unido, afirmou que a verificação pode levar menos 48h para casos mais complexos e 1h para empresas que estão com todas as informações relevantes.

D+30 da Atlas

O D+30 informado pela Atlas Quantum elevou a preocupação de quem tem fundos na plataforma.

Outro ponto que também não ficou claro é a partir de qual data começou a contagem dos 30 dias — a corrida de saques, contudo, teve início após o comunicado da CVM que data do dia 13 de agosto.

Em entrevista ao BitNotícias, Rodrigo Lima, Analista de Marketing da empresa, disse que “o Atlas já estava trabalhando no processo de renovação de cadastro nas exchanges, mas esse processo estava no início quando veio o Ofício da CVM”.

Segundo ele, quando houve o aumento do volume de saques as exchanges passaram a solicitar informações adicionais de KYC que até então não eram solicitadas na plataforma.

Contudo, no final de agosto, a empresa justificou ao Portal do Bitcoin que o aumento do prazos seria por conta de “questões técnicas das exchanges internacionais com as quais o Atlas Quantum opera”.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!