Mercado das Criptomoedas da Sinal de Vida Após Cair US$ 400 Bilhões

As principais criptomoedas estão mostrando um sinal de vidas nas últimas horas após terem perdido mais de US$ 400 bilhões em valor de mercado nos últimos dias.

Sinal de vida após um crash

Desde o dia 7 de janeiro, quando o valor de mercado das criptomoedas estava em US$ 835 bilhões, ele despencou mais de 50%, uma queda superior a US$ 400 bilhões, chegando a US$ 427 bilhões.

Valor de mercado das criptomoedas

Após atingir o seu menor valor, uma recuperação de 10% ocorreu e agora se aproxima dos US$ 470 bilhões.

Fonte: Coinmarketcap

Como pode-se observar, na última hora o mercado deu uma respirada apesar de continuar em queda nas últimas 24 horas.

O preço do bitcoin está sendo negociado atualmente em uma média global de US$ 10.116, representando um ganho de uma hora de 6% e uma recuperação ao patamar acima dos US$ 10.000.

O preço da ethereum fez uma subida de 9%, embora permaneça bem abaixo da barreira de US$ 1.000 e seu valor de mercado precisará de um impulso de US$ 17 bilhões para retornar para os US $ 100 bilhões.

Longo Prazo

Enquanto os céticos correm para falar que o bitcoin morreu, o consenso entre os players mais antigos do mercado é que esta correção – embora grave – é saudável para o mercado.

Spencer Bogart, um sócio do fundo de hedge de criptomoedas Blockchain Capital, comparou a retração com um incêndio florestal, que é destrutivo e necessário para o crescimento sustentado do ecossistema.

Ele previu que o mercado irá remover os ”mãos fracas” que se juntaram ao mercado apenas para especular e buscar dinheiro fácil.

Leia Também: Bitcoin Chegará a US$ 100.000, Prevê Analista do Saxo Bank

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!