Mercado Bitcoin vai listar USDC, stablecoin atrelada ao dólar

Stablecoin baseada no dólar americano estará disponível aos clientes da exchange a partir do dia 25

De olho na alta do dólar, Mercado Bitcoin estreia em stablecoins com listagem da USDC
USD Coin (USDC) será listada pela Mercado Bitcoin no Brasil (Foto: Shutterstock)

Os clientes da exchange Mercado Bitcoin passarão a contar com uma stablecoin — criptoativo que possui lastro — entre as opções para investir. A USD Coin (USDC), que tem o dólar americano como referência e é concorrente do Tether, estará disponível na plataforma a partir do próximo dia 25. O investimento mínimo é de R$ 50.

Segundo o porta-voz do Mercado Bitcoin, Fabrício Tota, a listagem de uma stablecoin era alvo de debates dentro da empresa e também uma demanda da própria base — estimada em 1,9 milhão de clientes — que pode inclui-la em sua estratégia de investimentos.

“A stablecoin é uma alternativa que temos agora para nossos clientes que agora desejam ter posição em dólar e não queriam ficar em reais”.

De olho em novo público

O dólar acumulou uma valorização de 35,66% entre janeiro e o final de abril deste ano e nesta terça-feira (19) fechou cotado em R$ 5,76. Essa valorização tem atraído investidores, que correm para a moeda norte-americana como forma de resguardar capital.

Tota acrescenta ainda que a chegada da USDC à corretora é um aceno para esse público que está de olho no desempenho do dólar e quer uma exposição mais acessível à variação da moeda norte-americana do que haveria, por exemplo, em fundos cambiais.

“A stablecoin acaba sendo um mecanismo muito simples e barato para isso. E é fundamental que seja em uma stablecoin sobre a qual não tenha muitas dúvidas sobre a existência do lastro em dólar”, resume Tota.

A USDC é a segunda maior stablecoin lastreada em dólar americano do mercado (U$ 750 milhões de emissões), atrás somente do Tether (U$ 6,4 bi). Executada na blockchain Ethereum (ERC-20), é baseada na estrutura de código aberto com moeda fiduciária colateral fora do Blockchain, o que garante a paridade um para um com o dólar americano.

Embora o Tether seja uma das maiores criptomoedas, está envolto em preocupação de que não é apoiado por dólares, como afirmam seus criadores, além da recusa em ser auditado. Daí a escolha do Mercado Bitcoin pela stablecoin concorrente.

Conta digital e precatórios

A listagem de uma stablecoin se soma a outros anúncios recentes do Mercado Bitcoin que permitem uma maior diversidade de investimentos e alternativas a meios tradicionais.

Enquanto a USDC, baseada em dólar, permite que o cliente tenha posição digital em dólares, desde março a exchange possui uma conta digital em parceria com a fintech Meubank. Concebida para ser a primeira opção de processamento das transações da corretora, ela é uma alternativa aos bancos para sua base de clientes.

Ainda no quesito diversificação de ativos, dentro do Mercado Bitcoin também é possível investir em tokens de cotas de consórcio. Neste caso, o investimento mínimo é de R$ 100.