Em meio a crise, Mercado Bitcoin demite 20 funcionários

(Foto: Shutterstock)

*Atualização: Diferentemente do que foi informado, Luiz Roberto Calado permanece como economista-chefe da Mercado Bitcoin

A corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin demitiu pelo menos 20 funcionários entre segunda (15) e terça-feira (16). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da exchange, que é a maior em volume negociado e clientes cadastrados do Brasil.

O Portal do Bitcoin conversou com quatro ex-funcionários de diferentes níveis hierárquicos da corretora para entender o que aconteceu. Todos pediram para não ser identificados.

Duas pessoas afirmaram que o economista-chefe da Mercado Bitcoin e presidente da ABCripto, Luiz Roberto Calado, também não trabalha mais na companhia. A reportagem entrou em contato com Calado em um primeiro momento mas ele não pôde falar. Após a publicação da matéria, ele em entrou em contato e afirmou que permanece no cargo.

“Foi horrível. Tinha gente chorando”, contou um dos entrevistados. Conforme os relatos, as demissões dos altos executivos começaram na segunda. No dia seguinte, parte dos funcionários, ao chegarem para trabalhar, foram divididos em dois grupos. Cada grupo foi demitido por um executivo.

As áreas de marketing e recursos humanos não existem mais, de acordo com os ex-funcionários. A empresa alega que foi feita uma reestruturação dessas áreas. (Leia abaixo). 

“Falaram para os funcionários que era um momento da empresa, precisava enxugar a estrutura. Em resumo, subiram uma estrutura acima do que estava sendo faturado”, disse outra pessoa que foi demitida.

O ambiente de trabalho da Mercado Bitcoin já vinha se deteriorando. Há cerca de dois meses, segundo os relatos, boa parte do que estava sendo feito pelos pelos funcionários começou a ser ‘engavetado’, o que foi gerando suspeitas. Além disso, o volume de trabalho foi ficando cada vez menor.

“Criávamos processos e apresentações mas tudo ficava travado. Coisas que a gente fazia em uma hora, agora fazia em dois dias. Algumas pessoas ficaram realmente ociosas. Não tinha o que fazer”.

Empresa demitiu profissionais que foram contratados de outras companhias a menos de seis meses. Há casos de pessoas que não completaram dois meses de casa.

A Mercado Bitcoin atualmente é a corretora brasileira com maior volume negociado de bitcoin no Brasil. De acordo com o IPB, 1.965 BTC foram negociados até o momento em outubro e 4.150 BTC em setembro, representando mais de 30% do mercado brasileiro.

O que diz a Mercado Bitcoin

Questionada pelo Portal do Bitcoin, a empresa enviou, por meio de sua assessoria de imprensa, a seguinte resposta:

O Mercado Bitcoin informa que tem promovido mudanças em sua estrutura, desde o início de 2018, com foco na profissionalização, melhor governança e mais agilidade no atendimento aos clientes. Em outubro, como parte das definições do planejamento estratégico finalizado em setembro, promoveu alterações em áreas de suporte (Marketing, RH e Administrativo), mantendo inalteradas as áreas fim da empresa (Tecnologia, Produtos e Atendimento ao Cliente).

Com relação ao dados financeiros e de pessoal, o Mercado Bitcoin não divulga suas informações ao mercado, mas esclarece que o número de pessoas que deixaram a empresa em outubro é significativamente inferior ao indicado na questão, chegando a 20 pessoas, apenas, se incluirmos consultores e outros prestadores de serviços.  

A empresa agradece aos que deixaram a casa, nessa etapa, e reforça a confiança naqueles que continuam a trabalhar na consolidação do Mercado Bitcoin como maior corretora de criptomoedas da América Latina”.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!