Mais Uma Corretora Brasileira de Bitcoin Implementa SegWit

Seguindo a tendência de grandes exchanges e carteiras de bitcoin ao redor do mundo, como Coinbase, Bittfinex e outras, a Walltime, corretora brasileira de bitcoin, ativou ontem o SegWit.

O Segregated Witness (SegWit) é um soft-fork do Bitcoin que corrige alguns problemas de maleabilidade e torna as transferências mais baratas e rápidas.

No final de 2017, o blockchain do Bitcoin teve grandes congestionamentos, o que trouxe diversos problemas, como altas taxas e transações lentas ou até sem confirmar, o que acalorou ainda mais os debates acerca da escalabilidade da rede. A adoção do SegWit visa reduzir drasticamente esse nível de congestionamento.

Neste ano, a adoção do SegWit teve um salto, representando agora mais de 30% das transações do Bitcoin.

Em uma conversa com Rafael Noguerol, do departamento de Marketing da Walltime, ele disse:

Todas as operações da exchange acontecem, a partir de agora, em endereços segwit. Endereços de depósito gerado a partir de agora são SegWit. Saques vão acontecer a partir de endereços segwit conforme gradualmente os fundos da hot (carteira) forem migrados para endereços segwit.

Com isso, espera-se uma redução em torno de 20% das taxas de mineração da rede.

Fora a redução nas taxas, a única diferença visível para os usuários será que agora o endereço de bitcoin gerado pela corretora irá começar com o número ”3”, ao invés de ”1”.

Além da Walltime, até o momento, apenas a Foxbit havia ativado o SegWit. A tendência é que com o decorrer do tempo, todas as corretoras também ativem.

Leia Também: Bitcoin Fecha 1º Trimestre com Queda de 50%

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!