Justiça manda apreender bens da Unick Forex e Urpay

Justiça manda apreender bens da Unick Forex e Urpay
Fachada da loja em Crissiumal (Foto: Marcos Benites/Rádio Alto Uruguai)

Justiça de São Paulo concedeu duas liminares em favor de dois investidores que ficaram sem receber os saques da Unick Forex. De acordo com as decisões a empresa terá sua conta bloqueada (arresto judicial) até o limite do valor das ações.

Num dos processos, o investidor não só acionou a Justiça contra a Unick Forex, mas também contra a empresa de pagamentos Urpay, a qual intermediava as operações.

Nessa ação, o juiz Jorge Alberto Quadros de Carvalho Silva, da 3ª Vara Cível do Foro Regional I de Santana (SP), ordenou que as contas tanto da Unick Forex quanto da Urpay fossem arrestadas (espécie de bloqueio) a fim de garantir no fim do processo a execução.

O processo também tinha no polo passivo uma outra empresa chamada Pronei Promotora de Negócios Ltda, a qual também deverá ter suas contas arrestadas até o limite de R$ 6.415,28 (valor da ação judicial).

A Pronei Promotora de Negócios Ltda, de acordo com o levantamento feito pela reportagem se trata de uma empresa de Porto Alegre (RS) com dois sócios. Paulo Sério Kroeff é quem administra o negócio e Beatriz Brzezinski Borges, consta apenas como uma sócia sem poder de gerência.

Essa empresa, conforme constava num comentário feito há cerca de um mês por um dos clientes da Unick Forex no site do seu suporte, está no lugar da Golden Stripes.

Unick Forex suspeita

Apesar de ser uma medida liminar, o juiz não escondeu a suspeita de as operações da Unick Forex se tratar de um esquema de pirâmide financeira. Foi essa a fundamentação, inclusive, utilizada por Silva para deferir o pedido liminar.

“Considerando a grande possibilidade de fraude e pirâmide financeira, a fim de resguardar a eficácia de eventual sentença condenatória, defiro a medida liminar, para determinar o arresto do valor indicado na petição inicial (fls. 12), nas contas mantidas pelas rés nas diversas instituições financeiras do país”.

A primeira decisão liminar, contudo, foi proferida na segunda-feira (09) pela juíza Mariana Dalla Bernardina, da 4ª Vara Cível do Foro Regional VIII de Tatuapé (SP).

Nesse processo, apesar de estarem como réus apenas a Unick Forex e o presidente da empresa Leidimar Lopes, a juíza ordenou que fossem arrestados os créditos pertencentes a essa empresa que estejam sendo administrados pela Urpay, até o limite do valor da ação.

“Defiro o arresto dos créditos de titularidade da requerida Unick Sociedade de Investimentos Ltda., CNPJ 19.047.764/0001-60, por ventura administrados pela terceira Urpay Tecnologia em Pagamentos Ltda (CNPJ: 26.463.227/0001-67), até o limite de R$ 3.700,00”.

Resposta da Urpay

José André Costa, Ceo da Urpay, falou ao Portal do Bitcoin que todas as movimentações da empresa facilitadora de pagamentos ficam registradas e que todas as prestações serão feitas a Justiça.

“Todas as movimentações na Urpay ficam registradas, juntamente com os beneficiários de entrada e saída dos valores. Diante de uma notificação dessas provavelmente serão prestadas as informações de onde e como estão os recursos”.

Costa disse que os clientes da Unick acionaram também a Urpay por confundir a empresa facilitadora de pagamentos com aquela que de fato estaria prestando o serviço.

Sobre suas contas serem também arrestadas, ele afirmou que isso faz parte e que o “setor jurídico já recebeu decisões parecidas, onde até vem possíveis bloqueios de conta”.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!