Israel já tem mais de 200 startups de blockchain no país; Brasil segue atrasado no setor

(Foto: Pixabay)

A Associação de Blockchain de Israel revelou que número startups de blockchain no país triplicou e já soma 200 empresas baseadas na nova tecnologia, segundo comunicado de imprensa publicado pelo PR Newswire na semana passada.

A organização, cujo objetivo principal é educar, desenvolver e capacitar a comunidade de tecnologia de contabilidade distribuída (DLT) de Israel, deu detalhes sobre o foco das novas empresas.

Pelo menos 57 startups estão trabalhando os blockchains com foco na disrupção tecnológica financeira do país (as Fintechs), enquanto cerca de 37 empresas estão preocupadas nos setores de protocolos e outras 23 na área de segurança.

A tecnologia blockchain provou que tem capacidade de fazer uma grande transformação tecnológica nas indústrias, opinou a CCN.

No entanto, a maioria dessas novas startups inicia projetos apenas com o conhecimento intrínseco da nova ferramenta sem mesmo antes procurar se aprofundar no seu funcionamento.

Essa falta de atenção e de zelo pelos fundamentos técnicos já levou pelo menos 20 delas ‘à morte’, disse o site

Roman Gold, sócio-fundador da Associação, disse que o setor de blockchain atual experimenta um impulso e uma transformação, visto que que a maioria das startups de Israel não estão criando Ofertas Iniciais de Moedas (ICOs), financiando, portanto, os projeto com capital próprio, diz a nota de imprensa.

Ele também citou o aumento de interesse no setor por investidores institucionais.

“Hoje existem menos fundadores de startups saindo de mercados questionáveis como o de Forex. Em vez disso, mais players institucionais estão começando a aderir e, desta forma, o mercado passa por uma autopurificação”, disse Gold.

Gadi Isaev, sócio-gerente da Associação também deixou sua perspectiva em torno da abundância de startups.

“Israel tem uma grande chance de se tornar a ‘Nação Blockchain’. Isso está acontecendo graças à regulamentação eficaz e à estreita cooperação de muitas startups de blockchain com organizações de pesquisa educacional e acadêmica”.

Para 2019, a Associação, apostando nas estruturas acadêmicas, espera que a quantidade de startups duplique, diz a nota.

Blockchain no Brasil

Uma pesquisa realizada em junho deste ano e divulgada no mês de agosto pela Federação das Empresas do Estado de São Paulo (FIESP), revelou que a Tecnologia Blockchain é ainda algo desconhecido por grande parte das empresas em São Paulo.

O estudo, intitulado “Blockchain: Rumos da Indústria Paulista”, mostrou que as maiores empresas são as que mais conhecem sobre Blockchain, enquanto que as pequenas são campeãs no déficit de dominar o tema.

Entre as 427 empresas que participaram da pesquisa, apenas 1,9% afirmaram ter “amplo conhecimento sobre o Blockchain” e 64,4% assumiram ser a “primeira vez” que ouviam falar disso. Nesse meio termo, 33,7% disseram conhecer pouco sobre a nova tecnologia.

Apenas 0,7% das pequenas empresas declararam ter “amplo conhecimento”, contra os 68% que nada sabiam sobre o assunto. As que afirmaram conhecer alguma coisa totalizou 31,1%.

As médias empresas se dividem da seguinte maneira: 58,3% nada sabiam, 38,9% disseram ter “pouco conhecimento” e 2,9% afirmaram dominar o assunto.

O nível de desconhecimento entre médias e grandes empresas não se difere muito. O estudo demonstrou que 51,4% das maiores empresas sabem alguma coisa a respeito de blockchains.

Por outro lado há um verdadeiro abismo entre aquelas que se dizem saber muito. 8,6% dessas grandes empresas disseram ser detentoras de amplo domínio contra os menos de 3% das médias empresas.

Esse estudo apontou que a maioria dessas empresas, 72,4% delas, se mostra interessada por saber sobre a inovação, a qual ainda parece coisa de ficção científica.

Apenas 14,8% diz não ter interesse. Dentre elas, os ínfimos 1,2% que afirmou saber bastante e não precisar de mais informações.

De acordo com o relatório, 7.161 empresas da Indústria de Transformação localizadas no Estado de São Paulo foram convidadas a responder o questionário online, mas a participação foi de menos de 10%.


BitcoinTrade

Baixe agora o aplicativo da melhor plataforma de criptomoedas do Brasil
Cadastre-se e confira todas as novidades da ferramenta, acesse: www.bitcointrade.com.br

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!