Exchanges brasileiras de criptomoedas: Quais têm as melhores funcionalidades?

Terceira parte da série analisa as funcionalidades das exchanges brasileiras (Foto: Shutterstock)

*Este relatório foi feito pela empresa Passfolio e cedido ao Portal do Bitcoin.

Para prosseguirmos com a série de artigos sobre a melhor exchange de criptomoedas do Brasil, do blog da Passfolio, vamos comparar agora as funcionalidades das plataformas brasileiras.

Esta é a terceira parte de um guia completo sobre as melhores exchanges de criptomoedas do Brasil. Confira as partes anteriores abaixo e não perca as próximas que serão lançadas:

Nesta terceira parte da pesquisa, focaremos na 3ª categoria: as funcionalidades. Ao final dessa série, você poderá conferir um infográfico interativo e comparar os atributos de todas as exchanges brasileiras!

Funcionalidades nas exchanges brasileiras

Você quer comprar mais de uma criptomoeda? Você quer ter acesso a gráficos e a tipos de ordens diferentes na hora de negociar?

As funcionalidades de uma plataforma de criptomoedas são um dos atributos mais importantes, e a Coinbene, a 3xbit e a OmniTrade se mostram como destaques nessa categoria, entre as 35 exchanges pesquisadas.

‍ ‍Notas de 1 a 5. Para melhor visualização, as demais exchanges abaixo da 24ª posição não foram listadas.

Nesta análise, comparei as seguintes variáveis:

  1. Variedade de criptomoedas
  2. Variedade de pares de negociação
  3. Variedade de mercados de negociação
  4. Variedade de tipos de ordens
  5. Disponibilidade de gráfico de preço (dentro da plataforma)
  6. Disponibilidade de gráfico de profundidade (dentro da plataforma)
  7. Disponibilidade de aplicativo para celulares

A seguir, explico cada uma delas:

1. Variedade de criptomoedas

No Brasil, a disponibilidade de diferentes criptomoedas, além do Bitcoin, é bastante inferior em relação às exchanges internacionais. Se você deseja comprar aquela altcoin que ainda não é muito conhecida, com a esperança de que ela vá se valorizar, dificilmente você terá essa oportunidade nas plataformas brasileiras.

Apenas 6 exchanges, de 35 pesquisadas, oferecem mais de 10 opções de criptomoedas para serem negociadas em sua plataforma. As exchanges com maior variedade são a Coinbene (194 criptomoedas), a Coin2001 (58 criptomoedas) e a Braziliex (31 criptomoedas). 

Mesmo aquelas que oferecem diversas opções, porém, podem não oferecer liquidez suficiente para que você consiga comprá-las ou vendê-las a preços interessantes. Isso acontece porque realmente não há mercado para tantas criptomoedas no Brasil com pares de negociação em reais – o que será abordado em seguida – e, muito menos, para pares cripto-cripto.

A maioria das plataformas brasileiras, como se pode verificar no gráfico acima, oferecem até 5 opções de criptomoedas para negociação. Em geral, as 5 principais são Bitcoin, Ethereum, Litecoin, Bitcoin Cash e Ripple. O histórico de lançamento de criptomoedas das principais exchanges brasileiras geralmente acompanhou essa lista de altcoins “queridas” pelos brasileiros.

Para exchanges que oferecem 10 ou mais criptomoedas, foi atribuída a nota máxima (5) no ranking.

2. Variedade de pares de negociação

Além de diferentes criptomoedas disponíveis, o investidor pode buscar também pares de negociação distintos. Nas exchanges brasileiras, o par de negociação mais comum é o BTC/BRL. Ou seja, é o mercado onde se pode trocar um ativo por outro (no caso, Bitcoin por reais). Cada criptomoeda que é possível de ser trocada por outro ativo, seja uma outra criptomoeda ou o real, é considerada um par de negociação. 

Assim, exchanges com maior variedade de criptomoedas tendem a oferecer uma maior variedade de pares de negociação, se houver mais de um mercado de negociação, que será abordado abaixo. Nesse quesito, além da Coinbene (236 pares) e da Coin2001 (115 pares) já mencionadas anteriormente, a Newcash (63 pares) fica em 3º lugar.

Para exchanges que oferecem 20 ou mais pares de negociação, foi atribuída a nota máxima (5) no ranking.

3. Variedade de mercados de negociação

A maioria das exchanges brasileiras oferecem apenas o mercado de negociação com reais. Isto é, você consegue comprar bitcoin, ether e outras criptomoedas com o seu saldo em reais na plataforma. Porém, algo bastante comum nas plataformas internacionais é oferecer mercados distintos para negociação, como pares com Bitcoin ou Ethereum, por exemplo.

Um exemplo disso é a Omnitrade, que possibilita negociações com reais, Bitcoin e Ethereum. A diversidade de mercados em uma exchange possibilita operações de arbitragem interna, pois os preços de diferentes ativos em relação ao real, ao Bitcoin ou ao Ethereum podem apresentar diferenças.

As exchanges com maior variedade de mercados no Brasil são a Newcash (7 mercados) e a Coinbene (4 mercados). Em 3º lugar, 3xbit, Braziliex, NovaDAX, Omnitrade, Profitfy e TrocaNinja encontram-se empatadas com 3 mercados cada.

Para exchanges que oferecem 4 ou mais mercados de negociação, foi atribuída a nota máxima (5) no ranking, enquanto exchanges com apenas 1 mercado tiveram a nota mínima de 2.5.

4. Variedade de tipos de ordens

Como visto em artigos anteriores da série, você precisa enviar ordens de compra e venda para negociar criptomoedas. Existem diversas formas de se fazer isso, mas a maioria das exchanges brasileiras oferece 2 tipos: ativa e passiva. 

Ordem ativa (ou taker) é quando o usuário compra ou vende instantaneamente, executando as primeiras ordens disponíveis no livro de ofertas. Ordem passiva (ou maker) é quando o usuário define um preço menor (no caso de compra) ou maior (no caso de venda) que o preço de mercado, e sua ordem fica à espera de ser executada no livro de ofertas.

Algumas exchanges, porém, oferecem um leque de opções maior para o investidor utilizar na hora de negociar. Ordens “stop”, que protegem o investidor de variações bruscas de preço, são o terceiro tipo mais comum. A Foxbit, a Coinext e A Casa do Bitcoin se destacaram nessa variável, por utilizarem o mesmo provedor de tecnologia e disponibilizarem 9 tipos de ordens distintos para os seus usuários.

Para exchanges que oferecem 5 ou mais tipos de ordens, foi atribuída a nota máxima (5) no ranking, enquanto exchanges com apenas 1 tipo tiveram a nota mínima de 1.

5. Disponibilidade de gráfico de preço

Uma funcionalidade muito importante para investidores, sejam iniciantes ou avançados, é o gráfico de preços dos ativos negociados dentro de uma exchange. Isso permite aos usuários realizarem análises gráficas, checarem o histórico de preços de uma criptomoeda e tomarem decisões melhores na hora de negociar.

No Brasil, 20% das exchanges analisadas não oferecem essa funcionalidade dentro de suas plataformas. É importante ressaltar que o gráfico aqui considerado precisa estar disponível dentro da plataforma de negociação da exchange. Não foram considerados gráficos disponibilizados fora da área do cliente das plataformas, porque isso deixa de ser uma funcionalidade da exchange.

As notas atribuídas para as exchanges nessa variável foram baseadas na disponibilidade ou não dessa funcionalidade. Caso uma exchange possuísse gráfico de preço em sua plataforma, foi atribuída a nota 5, caso contrário, ela ficou com nota 2.5.

6. Disponibilidade de gráfico de profundidade

Outra funcionalidade gráfica nas exchanges de criptomoedas, menos comum, é o gráfico de profundidade. Essa é uma forma de visualização gráfica do livro de ofertas da exchange que evidencia o volume de ofertas de compra e venda a cada preço.

Abaixo, temos um exemplo de gráfico de profundidade – em inglês, depth chart -, da 3xbit. É possível notar os preços oferecidos no eixo horizontal e o volume das ofertas no eixo vertical, e as ordens de compra e venda em verde e vermelho, respectivamente.

Print retirado da plataforma da 3xbit.com.br em 07/02/2019

O gráfico de profundidade é uma funcionalidade útil para o investidor verificar se há volume de ofertas suficiente em um livro para a sua ordem ser executada. Se um usuário deseja comprar a mercado 15 bitcoins, no exemplo acima, ele irá realizar compras fracionadas até o preço de cerca de $3.540, pagando mais caro do que o preço de mercado do momento.

Apenas 6 exchanges brasileiras, de 35 (17%), oferecem essa funcionalidade para seus usuários, sendo estas a 3xbit, A Casa do Bitcoin, a Foxbit, a Bitcambio, a CryptoMKT e a Omnitrade.

As notas atribuídas para as exchanges nessa variável foram baseadas na disponibilidade ou não dessa funcionalidade. Caso uma exchange possuísse gráfico de profundidade em sua plataforma, foi atribuída a nota 5, caso contrário, ela ficou com nota 2.5.

7. Disponibilidade de aplicativo para celulares

É comum investidores utilizarem seus celulares para negociar criptomoedas. No dia-a-dia, o uso dos smartphones facilita a compra e venda rápida em momentos de grande movimentação do mercado. Se o preço do Bitcoin está caindo e você está na rua, você nem sempre pode esperar chegar em casa para vender!

Nesse sentido, a disponibilidade de aplicativos para celulares das exchanges é uma funcionalidade importante. Apenas 23% das exchanges brasileiras oferecem isso, um número consideravelmente baixo. São elas: a BitcoinTrade, a Coinbene, a Coinext, a CryptoMKT, a e-Juno, a Foxbit, o Mercado Bitcoin e a XDEX.

As notas atribuídas para as exchanges nessa variável foram baseadas na disponibilidade ou não dessa funcionalidade. Caso uma exchange possuísse aplicativo para celulares, foi atribuída a nota 5, caso contrário, ela ficou com nota 2.5.

A ilustração abaixo evidencia os números agregados das principais funcionalidades das 35 exchanges brasileiras pesquisadas:

Assim, para cada uma das 7 variáveis explicitadas anteriormente, foi atribuída uma nota de 1 a 5 a cada exchange, classificando-as de acordo com as funcionalidades que elas oferecem. A nota geral, do ranking do início do artigo, foi calculada a partir da média simples dessas 7 notas. Todos os detalhes sobre a metodologia podem ser conferidos nessa planilha.