Estatísticas do Consumo de Energia da Mineração de Bitcoin

1

O preço do Bitcoin disparou em 2017, mas aparentemente isso não foi a única coisa que disparou. O consumo de energia gasto pela mineração da criptomoeda também atingiu novos recordes.

De acordo com uma pesquisa realizada por uma empresa de energia do Reino Unido, a média de eletricidade gasta para minerar bitcoin esse ano foi superior a energia gasta anualmente por 159 países. Especificamente, a energia média global gasta em mineração de bitcoin excedeu em muito o consumo de eletricidade na Irlanda e na maioria dos países africanos.

Os países em laranja representam os que gastam menos energia do que a mineração de criptomoedas e os países em preto os que gastam mais.

 

A pesquisa utilizou os dados fornecidos pela Digiconomist, cuja estimativa atual de eletricidade usada para minar bitcoin é de cerca de 30,14 TWh por ano. Isso é bem acima do consumo médio de eletricidade de 25 TWh na Irlanda. Na verdade, de acordo com um artigo recente do banco holandês ING, uma única transação de bitcoin consome energia suficiente para alimentar uma família média por um mês inteiro. O Digiconomist também descobriu que a Ethereum, a segunda criptomoeda mais popular hoje, também usa mais do que o valor da energia elétrica de um país.

O gráfico abaixo, mostra a estimativa de consumo de energia anual da mineração do bitcoin.

A energia consumida representa 0.13% do total global de consumo. Pode não parecer muito ao olhar a porcentagem bruta, mas ainda assim é superior a 159 países individualmente.

Se o Bitcoin fosse um país, ele seria o número 61 em consumo de energia.

Segue abaixo outros fatos interessantes apresentados pela pesquisa:

  • Somente no último mês, estimou-se que o consumo de energia elétrica do Bitcoin aumentou 29,98%
  • Se continuar a aumentar a esta taxa, a mineração de Bitcoin consumirá toda a eletricidade mundial em fevereiro de 2020.
  • Receitas de mineração global anualizadas estimadas: US $ 7,2 bilhões (R$ 23.4 bilhões)
  • Custos estimados de mineração global: US $ 1,5 bilhão USD (R$ 4.8 bilhões)
  • Número de americanos que poderiam ser alimentados pela mineração de bitcoin: 2,4 milhões
  • Número de britânicos que poderiam ser alimentados pela mineração bitcoin: 6,1 milhões ( o equivalente a Escócia, o País de Gales ou a Irlanda do Norte).
  • Mineração de bitcoin consome mais eletricidade do que 12 estados dos EUA (Alaska, Havaí, Idaho, Maine, Montana, New Hampshire, Novo México, Dakota do Norte, Rhode Island, Dakota do Sul, Vermont e Wyoming)

Bitcoin x Países

O gráfico abaixo compara a % que a mineração do bitcoin representa comparada com os países:

Comparado ao Brasil, a mineração de Bitcoin representa menos de 10% do consumo aqui no país. Por outro lado, na grande maioria dos países africanos, a mineração representa mais de 300% do consumo de energia elétrica.

A fim comparativos, o país que mais consome é a China, com 5.920.000.000.000,00 KWH/Ano, seguido dos Estados Unidos com 3.913.000.000.000,00 KWH/Ano. O Brasil se encontra na oitava posição, com 518.000.000.000,00 KWH/Ano.

Quem se interessou e quiser ver a pesquisa completa (em inglês), acesse aqui: https://powercompare.co.uk/bitcoin/

Leia Também: Conheça uma Mineradora de Bitcoin por Dentro

 

BitcoinTrade

A primeira plataforma Brasileira que você pode comprar com segurança utilizando o seu Cartão de Crédito como forma de pagamento. Eles aceitam Visa e Mastercard. A BitcoinTrade ainda conta com certificação de segurança PCI Compliance, a única no Brasil. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

loading...
loading...
  • Mago Erudito®

    Gostaria de saber se esse banco inglês ING fez também uma análise detalhada do consumo de energia elétrica por todos os bancos e sistema financeiro em geral.

    Mas tem que colocar na conta: luz de agências, ar-condicionado e os computadores ligados. Adicionar energia gasta para imprimir, transportar, armazenar e segurar o dinheiro físico. Colocando tudo isso no papel deve dar um consumo bem razoável, não acham?