É possível que os bancos e empresas financeiras irão oferecer empréstimos de dinheiro através de Bitcoins?

(Foto: Shutterstock)

A internet é um instrumento extremamente necessário nos dias atuais e que inevitavelmente faz parte da vida de qualquer cidadão brasileiro, principalmente nos grandes centros urbanos, onde o ritmo de vida é cada vez mais acelerado. Tendo em vista que o uso da internet é um instrumento facilitador, quando o assunto é financeiro, você pode economizar bastante tempo realizando transações on-line.

Nos últimos anos é notório identificar como que o mercado financeiro tem se expandido em diversos níveis, inclusive o virtual. Consequentemente, se identificou o aumento do uso de Bitcoins no mercado mundial de maneira generalizada. Com a difusão deste tipo de moeda, muitas pessoas tem se questionado se os bancos e empresas financeiras permitirão a realização de empréstimos por meio de Bitcoins.

Como se consegue Bitcoins?

Quando foi criada, qualquer pessoa poderia participar da competição para adquirir a moeda virtual Bitcoins, bastava ter disponível um computador. Com o passar do tempo, a moeda foi ficando mais conhecida em termos mundiais, por conseguinte, o número de indivíduos interessados também cresceu. Desta maneira, foi se tornando progressivamente mais difícil obter as Bitcoins, e hoje em dia somente quem tem um super computador têm a oportunidade de participar da competição.

Você pode adquirir as moedas virtuais entrando em contato com empresas especializadas em produzir este tipo de dinheiro, aceitando ela como forma de pagamento quando vender alguma mercadoria, ou efetuando a “mineração”; e agora também por meio do sistema bancário de créditos e empréstimos.

O que diz a lei sobre os empréstimos por meio de Bitcoins?

A regulamentação sobre o manejo das moedas virtuais nos distintos países do mundo pode variar bastante. A maioria dos países não permite por lei o uso de Bitcoins. Países como a China, Argentina, Rússia e o Equador, por exemplo, são mais estritos em relação ao uso deste tipo de moeda em suas constituições. Países como os Estados Unidos da América, são mais flexíveis em sua regulamentação, e há também países como o Brasil que não detém uma regulamentação exata sobre este tema.

O uso de Bitcoins no Brasil é permitido?

O Brasil, até o momento presente, não formulou uma lei que identifica e caracteriza a moeda criptomoeda Bitcoins, portanto ainda não há uma regulamentação sobre o uso dela. Entretanto, não proíbe sua utilização. Isto expressa que a Bitcoins poderá participar de comercialização, assim como comprada e vendida, pelos cidadãos que desejarem.

Ao mesmo tempo, no Congresso Nacional está em discussão o projeto de lei 2303/2015 que tem como objetivo principal inserir as moedas digitais com funções de ordem de pagamentos, com o controle do Banco Central. Desta maneira, o consumidor brasileiro não necessitará pagar nenhum imposto quando usar esta moeda, tendo em vista que ela todavia não foi reconhecida oficialmente por lei, pois em conformidade com a Constituição da República nenhum cidadão possui a obrigação de realizar ou não determinada função que não esteja definida por lei.

Na data do dia 03 de Outubro do ano de 2017 foi eleita uma Comissão Especial para examinar e discutir o projeto e divulgar um respectivo parecer.

Bitcoins e os Bancos/Instituições Financeiras

No momento atual, o uso da criptomoeda Bitcoins já é muito comum em distintos âmbitos das transações financeiras, e agora, mais recentemente também já está sendo utilizada para o concedimento de empréstimos bancários em bancos e instituições financeiras no geral. Segundo uma investigação publicada recentemente pela LendEDU, instituição financeira que também pesquisa sobre o tema dos empréstimos pessoais, cerca de 18% de 678 dos investidores identificados utilizam um sistema de crédito, dentro dos muitos que existem, para lograr adquirir a moeda Bitcoins.

A atuação desta moeda no mercado global é muito preocupante para os sistemas dos bancos e instituições financeiras, porque as Bitcoins circulam por uma rede virtual pública e descentralizada. Ou seja, teoricamente não se necessitaria mais dos bancos para intermediar as transações financeiras, sejam elas pessoais ou empresariais. Por exemplo, se você tem um parente que mora no exterior, e precisa enviar dinheiro para ele ou vice-versa, todo o trâmite que você irá realizar passará por um banco ou mais de um, dependendo dos países em questão, e esses bancos cobram taxas para efetuar a operação. Ainda pode-se mencionar que com o uso das Bitcoins, as transações econômicas que muitas vezes levam 3 dias para serem terminadas através dos bancos, com a moeda virtual se dariam em no máximo 16 horas. Tendo em vista todas essas facilidades oferecidas pela moeda virtual, recentemente uma investigação apresentou os dados de que a moeda em questão movimentou cerca de 2 milhões de reais no Brasil só durante o ano de 2017, mostrando que vários setores empresariais já estão utilizando a moeda Bitcoins para suas negociações.

O uso de Bitcoins nos empréstimos bancários

Haja vista todas essas facilidades trazidas pelo uso da bitcoins nos trâmites financeiros, os bancos tradicionais e instituições financeiras estão tomando medidas com o objetivo de adaptar-se às novas demandas do mercado mundial, e tornar as operações mais fáceis para ambos os lados, tanto no que diz respeito às transações entre grandes empresas, quanto no âmbito dos trâmites pessoais de seus clientes. Assim, vários bancos já disponibilizam empréstimos através da moeda alternativa Bitcoins, e cada vez mais cresce o número desses consumidores.

Este sistema do qual a moeda virtual está inserida é mais barata para os bancos e também segura, porque todas as operações ficam registradas no sistema on-line e por isso nunca se perdem. Desta forma se poderia inclusive baixar as altas taxas de juros dos empréstimos bancários tradicionais porque todo o serviço é muito menos custoso que o tradicional, mais rápido e eficaz. As taxas de juros dos empréstimos podem cair também devido à competição que será inevitável com as empresas, bancos e aplicativos que fornecem a Bitcoin.

Vale ressaltar que esta adaptação dos bancos tradicionais a este novo modelo de moeda será muito interessante para o consumidor brasileiro, considerando que o Brasil possui taxas de juros muito altas, pode-se dizer até que está entre as mais altas do mundo.

Exemplos de Bancos que já estão se adaptando aos Bitcoins

Um bom exemplo desta adequação, é que o Banco Santander recentemente se reuniu com quatro outros grandes bancos: BNY Mellon, ICAP, UBS y Deutsche Bank para que juntos lancem uma moeda virtual (Bitcoins). Este grupo de bancos já estão realizando negociações com os bancos centrais, a fim de desenvolver o projeto. Esta moeda digital ganharia o nome de USC, e funcionaria de forma não centralizada, com as funções de efetuar pagamentos entre distintas entidades financeiras, entre outras. Outro ótimo exemplo, é o banco on-line alemão Bitbond, criado no ano de 2013, pelo alemão Radoslav Albrecht. Através deste banco, o consumidor pode fazer empréstimos para diversos países do mundo, não importando em que lugar esteja presente.

O banco Bitbond é apontado como o primeiro no mundo em conceder um sistema de créditos e empréstimos de cunho internacional. Nos dias atuais está acionando aproximadamente o valor de um milhão de dólares destinado a pagamentos de empréstimos por mês. Assim, o Bitbond é um exemplo de um modelo de banco que compete com os demais bancos tradicionais, o que é mais um fator para que estes abaixem o valor das suas taxas de juros dos empréstimos bancários e/ou se adaptem o quanto antes a esse novo sistema da moeda virtual que cresce e demanda novos, clientes, a cada dia, pelo mundo inteiro.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!