Criptomoedas são insignificantes no mundo e isto é excelente

Criptomoedas são insignificantes no mundo e isto é excelente
Foto: Shutterstock

Qual o tamanho do mercado de criptomoedas?

Para nós mortais, os US$ 225 bilhões de capitalização de mercado das criptomoedas parece algo até abstrato, um número muito grande, equiparável a fortuna pessoal de Jeff Bezos (Amazon) e Bill Gates (Microsoft) juntos.

Com essa grana daria pra comprar 1.800 aeronaves Boieing dessas 737 MAX mais modernos ou 4.000 mansões iguais a do Kanye West & Kim Kardashian de 1.500 metros quadrados.

Caramba… e isso é pouca coisa?

Acredite se quiser, sim. Apple e Microsoft somadas totalizam US$ 2,1 trilhões, ou seja, mais de nove vezes o valor de mercado das criptomoedas.

O mercado de ações global totaliza US$ 73 trilhões (3.170 vezes maior) e o imobiliário outros US$ 217 trilhões (9.434 vezes maior). O gráfico abaixo dá uma escala pra você entender a dimensão.

Fonte: Solidum Capital

Quer dizer que criptos podem crescer mais de 1.000 vezes?

Sim, mas isso não quer dizer que vá acontecer. A questão que devemos fazer a nós mesmos é: faz sentido os imóveis em NY totalizarem US$ 2 trilhões ou será que este fenômeno ocorreu pois não havia outra maneira segura de armazenar valores? Uma resposta certa pra essa pergunta não é possível (hoje), pois não há tantas alternativas seguras e rentáveis pra competir.

E o ouro não serve como reserva de valor?

O ouro “acima da terra”, ou seja, que já foi extraído, totaliza US$ 8 trilhões, mas só 50% disso é utilizado comercialmente, o resto está em joias. Resumindo: o ouro comercial equivale a menos de 2% do mercado imobiliário: apartamentos, escritórios, fazendas, plantações, etc. Desta forma o ouro tampouco seria uma alternativa viável pro pessoal fugir do mercado de ações ou imobiliário.

Isso quer dizer que criptomoedas nunca vão ter um lugar ao sol?

De forma alguma, todo mercado começa pequeno e vai crescendo ao longo do tempo. Os derivativos de commodities (ouro, petróleo, soja, boi gordo, etc) nos EUA saíram de US$ 85 bilhões para US$ 2,1 trilhões entre 2003 e 2008. Isto deu-se pela valorização e o próprio aumento de oferta de produtos com novas listagens.

Necessariamente vamos ter várias moedas listadas?

É provável que outras criptomoedas passem a ser listadas na CME, BAKKT e demais bolsas de derivativos, mas isso não quer dizer que o crescimento depende disto. Os grandes investidores preferem ativos de maior liquidez e atualmente o volume do BTC nas exchanges “confiáveis” de acordo com o OpenMarketcap é de US$ 1,5 bilhão diários ante os US$ 200 milhões da Ethereum, ou seja, sete vezes maior.

É possível prever este tipo de movimento?

Se fosse, estaríamos todos milionários. Uma questão fundamental a ser determinada é como as criptomoedas vão reagir a uma eventual crise econômica de grande escala. Como nosso histórico é de apenas 10 anos, esta é uma questão em aberto. O importante é mostrar um descolamento, ou seja, baixa correlação com os movimentos dos mercados tradicionais ao longo do ano. Só nos resta aguardar.

Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017 faz arbitragem e trading de criptomoedas, além de ser cofundador do site de análise de criptos RadarBTC

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!