Corretora brasileira fecha e dá 12 dias para clientes sacarem bitcoins

Exchange OmniTrade citou atual crise financeira global criada pelo coronavírus como motivo

Foto: Shutterstock

A corretora brasileira de criptomoedas OmniTrade anunciou nesta quinta-feira (26) o encerramento de suas operações a partir do próximo dia 07, que também é o prazo para os clientes sacarem os bitcoins e demais criptomoedas.

De acordo com um comunicado aos clientes, os depósitos em criptomoedas e reais já foram suspensos a partir da data do anúncio. Os mercados, escreveu, serão fechados no dia 31 deste mês.

“É com profundo pesar que anunciamos o encerramento das operações da OmniTrade, que ocorrerá no dia 07/04/2020”, disse a corretora.

Segundo a nota, o motivo do fechamento foram “os agravamentos da atual crise financeira global”.

No entanto, prevendo rumores sobre falta de fundos em torno da decisão, o fundador da empresa Fábio Akita, afirmou que a empresa esteve sempre solvente.

Conforme explicou ao Portal do Bitcoin, Akita prevê um período de recessão e resolveu se precaver.

“Antes de mais nada acho que a maior preocupação que todo mundo tem é se estamos fechando por falta de fundos ou algo assim. Vamos deixar claro que a OmniTrade é 100% solvente, tanto em reais quanto cripto”, afirmou à reportagem.

Questionado sobre o prazo para os clientes sacarem os fundos, se nao era curto demais, Akita disse que “o prazo é mais que suficiente”.

Conforme explicou, se alguém perder o prazo vai poder solicitar o saque depois — que será feito manualmente.

“Nenhum cliente vai ser deixado pra trás, mas nos ajuda muito se sacarem rápido pra podermos encerrar a operação”, disse o empresário.

Corretora agradeceu a confiança dos clientes

A OmniTrade começou a operar havia mais de dois anos e recentemente tinha um volume diário de 8 BTCs, segundo Akita.

A empresa é uma espécie de subsidiária da empresa de software Codeminer 42, com sede em São Paulo, que também tem como sócio Fábio Akita.

“A OmniTrade é 100% de propriedade da CodeMiner 42, nunca tivemos investidores externos, e toda a tecnologia que criamos é 100% nossa também, nunca licenciamos nada de ninguém”, relatou.

Quando foi lançada, a corretora a chegou com um diferencial: a autenticação através de carteiras físicas de criptomoedas. No seu portfólio, as principais criptomoedas — Bitcoin, Litecoin, Ether, XRP, a stablecoin USD Coin, dentre outros criptoativos.

Conforme explicou a nota aos clientes, a corretora esteve sólida no mercado de criptomoedas em razão da confiança de seus clientes.

“Gostaríamos de agradecer imensamente a confiança depositada em nós ao longo desses 2 anos de jornada no promissor mercado brasileiro de criptoativos. “Temos muito orgulho do que construímos”.