Concurso para diplomata no Brasil pede conhecimento em criptomoedas e Blockchain

Concurso para diplomata no Brasil pede conhecimento em criptomoedas e Blockchain
Foto: Shutterstock

Conhecimento sobre criptomoedas, Blockchain e como essas tecnologias podem impactar a economia mundial passa a ser um dos requisitos para a pessoa se tornar diplomata no Brasil, conforme consta no edital do concurso publicado na segunda-feira (08) no Diário Oficial da União.

O Instituto Rio Branco inseriu os temas referentes às criptomoedas e Blockchain nas questões de política internacional, que vão ser cobradas nas duas do Concurso de Admissão da Carreira de Diplomata (CACD).

O edital prevê, na primeira fase, 73 questões de certo e errado em oito áreas do conhecimento. Dessas, doze serão de política internacional e haverá o risco de numa delas pelo menos ter pergunta ligada à criptomoedas ou Blockchain.

“A prova objetiva da Primeira Fase será aplicada nas capitais dos 26 estados da Federação e no Distrito Federal, na data provável de 8 de setembro de 2019”.

Criptomoedas na segunda fase

Os temas sobre criptomoedas e Blockchain também poderão ser abordados na prova discursiva, que ocorrerá na segunda e última fase desse concurso público.

De acordo com o certame serão quatro questões de política internacional, sendo que duas delas “de até 90 linhas e valor de 30 pontos, cada; e Duas questões discursivas de até 60 linhas e valor de 20 pontos, cada”.

Somente passará para a segunda fase os 200 primeiros colocados na primeira fase e que não tenham sido eliminados na prova de língua portuguesa.

Candidatos aprovados

O concurso, no entanto, prevê apenas 56 vagas. Dessas, 42 serão de ampla concorrência; onze para candidatos negros e; três para pessoas com algum tipo de deficiência.

Aqueles que passarem pelas duas fases do concurso, além de terem remuneração inicial ainda no Brasil de R$ 19.199,06 (valor bruto), “ingressarão em cargo da classe inicial da carreira de diplomata (terceiro-secretário), de acordo com a ordem de classificação obtida e com o número de vagas oferecidas”.

Esses aprovados estarão habilitados, segundo o certame o concurso, a se matricularem no Curso de Formação de Diplomatas do Instituto Rio Branco. A conclusão desse curso “constitui condição essencial para a confirmação do servidor no Serviço Exterior Brasileiro”.

Para poder se candidatar a uma dessas vagas, o interessado tem de ser brasileiro nato, maior de 18 anos e graduado em qualquer nível superior.

Bitcoin em concurso de Juiz

Essa não é a primeira vez que um concurso público exige conhecimentos sobre criptomoedas. No ano passado, o Portal do Bitcoin havia publicado uma reportagem em que a prova para admissão de juiz do Tribunal Regional Federal da 3ª Região havia cobrado uma questão tratando sobre Bitcoin, especificamente.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!