CEO da Covesting: “As exchanges de criptomoedas regulamentadas serão a única solução para o dinheiro institucional entrar no mercado”

Esta é uma publicação paga. O Portal do Bitcoin não endossa e não é responsável por nenhum conteúdo, precisão, qualidade, publicidade, produtos ou outros materiais nessa publicação.

(Foto: Pixabay)

“Imagine que você é gerente de portfólio em um fundo de hedge com políticas de gerenciamento de risco muito claras. Quando você é responsável pelos recursos de outras pessoas, simplesmente não pode investir em ativos digitais de negociação devido aos riscos associados a uma exchange não regulamentada. Há mais de US$ 80 trilhões em ativos gerenciados globalmente que estão à espera de regulamentação antes de investir em blockchain e criptomoedas”- disse Dmitrij Pruglo, CEO da Covesting, em resposta a um recente trabalho de pesquisa publicado PricewaterhouseCoopers, alegando que a incerteza regulatória e a confiança são as principais barreiras para a adoção do blockchain entre empresas.

O estudo, intitulado “Blockchain está aqui. Qual é o seu próximo passo?” Pesquisou mais de 600 executivos em 15 países para entender melhor onde as empresas estão desenvolvendo soluções baseadas em blockchain. De acordo com os dados coletados, as empresas estão buscando suas próprias iniciativas blockchain, com medo de serem deixadas para trás pela tecnologia emergente – mas os temores em torno da confiança e da regulação permanecem uma constante.

84% dos entrevistados afirmaram estar ativamente envolvidos com projetos blockchain, no entanto, quase metade dos entrevistados acredita que a confiança poderia atrasar a adoção em massa. Espera-se que o Blockchain gere até US$ 3 trilhões em valor de negócios anuais até 2030, por isso é fácil entender por que o blockchain despertou o interesse das empresas globalmente.

A confiança é uma preocupação generalizada em toda a indústria, e com razão. O crime cibernético relacionado à criptomoeda triplicou em 2018, e as exchanges tornaram-se alvos fáceis devido a uma combinação de falta de experiência em desenvolvimento em torno de uma nova tecnologia, falta de segurança geral e negligência administrativa. Por exemplo, a Coincheck tinha mais de US$ 500 milhões em fundos de clientes roubados, incentivando os reguladores no Japão a endurecer as diretrizes regulatórias e colocar as exchanges no formato para que os fundos dos consumidores permaneçam seguros e protegidos no futuro.

A equipe da Covesting entende que a desconfiança continua sendo um problema e busca ser pioneira em uma “nova era do mundo das criptomoedas”, focada em conformidade e confiança.

Uma licença DLT é um novo requisito regulatório colocado em prática pelo GFSC para garantir que os fundos dos investidores sejam mantidos em segurança. A licença oferece aos investidores um conjunto de garantias para proporcionar paz de espírito, incluindo auditorias anuais independentes, e uma garantia de que a exchange foi devidamente verificada se possui os conhecimentos e recursos necessários para garantir a segurança de ativos e dados.

Quando uma bolsa recebe uma licença DLT, ela pode trabalhar com bancos para oferecer acesso fiduciário para que os investidores possam trocar moedas fiduciárias por ativos digitais. Também prova que a empresa está disposta a dar um passo extra pela segurança de seus clientes, adicionando uma camada cada vez mais importante de confiança.

Essa confiança tem sido a principal questão que impediu investidores institucionais de entrar no mercado de criptomoedas, mas com o tempo e com apoio regulatório, a barreira da confiança será quebrada e os investidores institucionais ficarão confortáveis ​​em entrar no mercado dos ativos digitais. No entanto, serão necessárias exchanges, como a Covesting, para continuar a estabelecer uma nova referência no mercado, buscando ativamente a conformidade normativa e, assim, criando uma valiosa confiança do cliente.

Ao falar sobre o sucesso atual e futuro da plataforma Covesting, seu COO e co-fundador, Tim Voronin, disse:

“Até recentemente, nenhuma corretora de criptomoedas conseguiu se gabar de ter uma equipe operacional de suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana, ou ferramentas que podem ser comparadas ao nível e à capacidade de uma bolsa de valores ou corretora tradicional, ou mesmo a capacidade de oferecer aos clientes algumas garantias e licenciamento regulatório.

A equipe da Covesting chegou aos mercados de criptomoedas somente com nossa experiência nos mercados tradicionais, e estamos trabalhando duro para oferecer uma solução para os problemas do setor, combinando as regras de um ambiente e as possibilidades do outro.

O resultado do nosso trabalho árduo: temos um serviço de suporte multilíngüe de 24 horas, operações totalmente legais e compatíveis com criptomoeda e decreto, políticas e procedimentos claros, além de relatórios obrigatórios para os reguladores e uma auditoria anual de um auditor independente, como empresas tradicionais e regulamentadas.”