“Vejo o Bitcoin em US$ 1 milhão algum dia”, diz executivo de blockchain da IBM

(Foto: Shutterstock)

O vice-presidente do setor de blockchain e criptomoedas da IBM, Jesse Lund, acredita que o preço do bitcoin pode chegar a US$ 1 milhão no longo prazo, cerca de R$ 3,8 milhões.

Lund falou sobre a criptomoeda durante uma entrevista a Fred Schebesta do canal Crypto Finder no Youtube, na versão 2019 da conferência Think, ação promovida pela própria IBM.

“Eu tenho uma visão de longo prazo e vejo o Bitcoin em um milhão de dólares algum dia. Eu gosto desse número porque se o Bitcoin chegar a um milhão, então o satoshi estar em paridade de valor com o centavo dos EUA”, disse.

O executivo explicou o seu otimismo:

“Isso significa que há mais de US$ 20 trilhões de liquidez nessa rede. Pense em US$ 20 trilhões em liquidez e como isso pode transformar os pagamentos corporativos”.

Ele acredita que quanto maior o preço de um criptoativo maior será a sua utilidade. Desta forma, Lund diz que as pessoas deveriam se concentrar mais na sua finalidade e não no movimento dos preço.

Segundo ele, os especuladores estão prejudicando o valor das criptomoedas porque estão pensando errado.

“Se o preço do Bitcoin fosse maior, haveria mais liquidez na rede, poderíamos ter uma discussão muito diferente com os bancos agora”, afirmou.

IBM e projeto com Stellar

Recentemente, a IBM lançou o World Wire, uma solução tecnológica baseada na criptomoeda Stellar (XLM) para pagamentos transfronteiriços.

Sobre o projeto, Lund disse que apesar de seu menor valor de mercado, o criptoativo é útil para transações internacionais.

O executivo da IBM disse que a maioria dos protocolos blockchain fora das plataformas de contratos inteligentes não permite a transferência de vários ativos e que uma variedade de criptoativos devem fazer parte de acordos transfronteiriços.


Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!