“Bitcoin é a Agulha que Vai Estourar a Bolha”, Diz Cofundador da Bitcoin Foundation

Jon Matonis em entrevista sobre o Bitcoin (Foto: Reprodução/Youtube)

O Bitcoin caiu mais de metade desde o início do ano, levando os críticos a afirmarem que ele é uma bolha que está se esvaziando. Em resposta, Jon Matonis, cofundador da Bitcoin Foundation e executivo da VISA, mandou um recado aos céticos via Business Insider:

“Para as pessoas que dizem que o Bitcoin é uma bolha, eu diria que ele é a agulha que vai estourar a bolha. As bolhas são os mercados insanos de títulos e os falsos mercados de ações que são apoiados pelos bancos centrais. Essas são as bolhas”.

Matonis também disse que a entrada de grandes bancos e instituições financeiras, como o Goldman Sachs, trará liquidez ao Bitcoin e, por fim, o aumento no preço, segundo a CCN.

Bitcoin e os bancos

A Goldman Sachs possui uma grande parte da Circle, empresa que em fevereiro comprou a Poloniex. Em outras palavras, a empresa já investiu, do ponto de vista institucional, na viabilidade a longo prazo das criptomoedas. O executivo acredita que ela deveria se aprofundar ainda mais.

“Eu acho extraordinário que eles estejam entrando nesse mercado. Assim eles trazem nova liquidez. Eles vão desenvolver mercados futuros, novas opções de mercados… até acho que presenciaremos taxas de juros em torno do Bitcoin. Estamos acostumados a ouvir coisas sobre a Libor (taxa londrina de referência diária), o índice de taxas de juros de Bitcoin é Bibor”, disse Matonis, que brinca ao substituir o L pelo B (de Bitcoin).

Uma das principais razões por trás da extrema volatilidade do mercado criptomoedas é a falta de liquidez. Por isso, é um negócio extremamente instável, tanto positivamente como negativamente. O volume diário de negociação de Bitcoin e Altcoins diminuiu substancialmente desde janeiro deste ano.

Essa queda significativa permitiu que ‘baleias’ e investidores institucionais de mercados futuros fizessem ‘seus jogos’. E isto foi percebido nos movimentos de preços nos últimos meses.

Recentemente a Exchange CBOE propôs à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) a permissão de fundos negociados em Bitcoin (ETFs) nos mercados de ações dos EUA, como NASDAQ e a Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE). A entrada de grandes instituições financeiras como a Goldman Sachs sem dúvida vai estimular comerciantes institucionais e varejistas a adotarem as criptomoedas.

A demanda atual de investidores institucionais nos EUA é relativamente alta, mas o capital real vindo do mercado de criptomoedas da indústria de finanças públicas é quase inexistente. No Japão, no entanto, os investidores institucionais estão investindo pesado por meio de plataformas de negociação que abordam especificamente os grandes varejistas.

A dúvida que fica é de quando grandes instituições financeiras estarão prontas para entrar no mercado. Ultimamente o mercado de criptomoedas tem tido imagem de um mercado de apostas, especialmente pelas grandes mídias.

Se o mercado se recuperar num curto prazo e o Bitcoin voltar a crescer é certo que os bancos vão se aproximar para atender à crescente demanda do novo mercado.

Declínio tem data pra acabar

Em um ciclo prolongado de quedas, as instituições financeiras certamente não entrarão no mercado, a menos que queiram arriscar e sair na frente das concorrentes. Isso deve levar alguns meses ainda. E quando isso acontecer o mercado de criptomoedas já estará equipado com veículos significativos de liquidez e investimento público.

Leia também: Foxbit Processa Banco Inter por Fechamento de Conta

 

BitcoinTrade

BitcoinTrade é a plataforma mais segura do Brasil para comprar e vender Bitcoin e Ethereum, junte-se agora a mais de 135 mil clientes satisfeitos. Gerencie também suas moedas digitais utilizando nosso aplicativo para dispositivos com iOS ou Android. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

loading...