Bitcoin despenca US$ 1.000 em apenas uma hora e bate mínima de julho

(Foto: Shutterstock)

Em preço do bitcoin caiu de US$ 10.500 para menos de US $ 9.500 em poucos minutos, registrando nova mínima em julho, nestá terça (16) às 14:10 (horário de brasília) e fez o restante do mercado de criptomoedas despencar.

No Brasil, o preço do BTC também opera em forte queda e é negociado abaixo dos R$ 38.000.

Gráfico BTC/USD da Bitfinex

Ao longo desta semana, analistas técnicos e traders disseram que embora permaneçam otimistas na tendência de médio e longo prazo, o bitcoin pode continuar em queda no curto prazo caso não consiga se manter acima dos US$ 10.000.

Para o trader da Texas West Capital, Scott Melker, o bitcoin poderia continuar caindo até US$ 7.246 se não conseguir se recuperar rapidamente no curto prazo.

No mercado Brasileiro, o deputado federal Luciano Bivar (PSL/PE) apresentou na segunda-feira (15) uma mudança em emenda à Constituição Federal que deve afetar futuramente a forma de tributação sobre as criptomoedas.

A proposta é uma modificação sugerida por Bivar no projeto de emenda à constituição (PEC) nº 045/2019 e propõe à Câmara que se inclua um novo imposto que deve ser cobrado sobre qualquer movimentação de valores e de créditos e direitos de natureza financeira. Essa nova modalidade tributária deve ainda incidir também sobre operações fora do sistema financeiro.

Mercado despenca

Como o preço do Bitcoin caindo 10%, outros grandes criptoativos do mercado como Ethereum, Bitcoin Cash, Ripple (XRP) e Litecoin chegam a cair mais de 15%.

O valor de mercado dos criptoativos caiu US$ 120 bilhões em menos de um mês, quando atingiu a máxima anual.

O Bitcoin agora se aproxima de 70% de marketshare do mercado de criptomoedas, mesmo nível de dezembro de 2017, quando atingiu a sua máxima histórica.


Compre criptomoedas na 3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!