Bitcoin Banco vai entregar mais de 2500 CPFs de clientes à polícia; usuários se revoltam

Bitcoin Banco vai entregar mais de 2500 CPFs de clientes à polícia; usuários se revoltam
(Foto: Shutterstock)

Na tarde desta segunda-feira (03), o grupo Bitcoin Banco afirmou que bloqueou 2568 contas consideradas suspeitas e que os CPFs correspondentes foram enviados à polícia.

Conforme a nota publicada nas redes sociais da empresa, foram analisadas quase 20 mil transações suspeitas da fraude que teria lesado a companhia em R$ 50 milhões. A nota também dá uma nova data dos pagamentos: prazo de 30 dias úteis para a conclusão da perícia a contar de hoje.

É pelo menos a terceira mudança de data desde que os pagamentos foram travados no dia 17 de maio. “As contas que forem comprovadas envolvimento na ocorrência, serão encaminhadas para composição do dossiê, e as demais serão liberadas no decorrer da análise”, diz o texto.

Críticas ao Bitcoin Banco

Pelas redes sociais, os usuários fizeram severas críticas ao Bitcoin Banco. Marcel Chaves disse pelo Facebook que estava na 280ª posição na fila dos pagamentos a empresa fez pagamentos de R$ 10 mil a um pequeno número de clientes.

“Não cometi ato ilícito algum. A negocie coins está me acusando de algo que não fiz. Minha conta bloqueada”, escreveu.

Jorge Henrique Bittar, em outro comentário no Facebook, foi mais duro: “Conclusão, tudo para ganhar tempo, ainda mais, tentam contornar a situação jogando o crime para os clientes. Chamar mais de 2500 de bandidos, sendo que foram eles que cometeram crimes, tendo sequestrado seus ativos. Ainda mais, ameaçando-os. Agora pedem 30 dias… Estou posicionado em bitcoin, e se desvalorizar? quem paga o prejuizo depois que concluirem que não possuo nenhum envolvimento ilícito? eu fui paciente, mas agora tomarei as medidas”.

Há relatos inclusive de contas que foram bloqueadas e horas depois desbloqueadas. Foi o caso de Vanessa Stocchero, que afirmou: Hoje minha conta também foi bloqueada! Mas já desbloquearam! Achei muito estranho por mais que tenho cadastro na bat nunca fiz uma transação lá! Enfim graças a Deus já está tudo resolvido! Espero que mais contas esteja desbloqueada!”.

Em crise

Por causa da crise, a NegocieCoins perdeu o selo de melhor atendimento no site Reclame Aqui. Se em maio a nota era 9.0, com a virada do mês e a enorme quantidade de saques travados, a corretora agora tem nota 7.9 e centenas de reclamações sobre não pagamento.

Parar piorar, no final do mês, o volume da corretora NegocieCoins foi excluído do CoinMarketCap, o principal ranking de comparação do mercado de criptomoedas.

Ao lado do nome da empresa, estão dois asteriscos que avisam da exclusão na linha do volume. Quem clica na exchange se depara com um alerta no alto da página: “Recebemos informações de que os depósitos e retiradas dos usuários estão travados. Por favor, tenha cuidado com seus fundos”.

O que aconteceu

Desde pelo menos o dia 17 de maio, as exchanges do Bitcoin Banco estão com os pagamentos praticamente travados. Há algumas liberações na casa dos R$ 10 mil por pessoa, mas não há nenhuma informação sobre saques de Bitcoin.

A empresa informou aos clientes que haveria uma restrição individual e global de saques. As regras e prazos sobre as liberações mudaram diversas vezes. O prazo original não foi cumprido.

Além disso, na terça-feira (28), a Bat Exchange, que também é ligada ao Bitcoin Banco, anunciou que entraria em manutenção por tempo indeterminado sem explicar os motivos.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!