Auctus – Uma plataforma para gerenciar fundos de aposentadoria em smart contracts

O Projeto Auctus tem como missão proporcionar transparência e confiabilidade para fundos de aposentadoria utilizando a tecnologia de smart contracts do Ethereum.

Na plataforma será possível cadastrar, gerenciar e acompanhar o andamento e rendimento dos fundos, bem como fazer operações de saque e depósito.

Os problemas dos fundos atuais

Não é difícil achar notícias de fraudes e problemas de gestão em fundos de pensão ao redor do mundo. A expectativa de vida da população está aumentando, porém as opções de fundos não conseguem evoluir para lidar com a demanda crescente de cadastros e opções de fundos para atender a nova geração. Muitos dos fundos atuais são gerenciados com ferramentas de atualização manual. As taxas e rendimentos dos fundos frequentemente não são repassados de maneira transparente para o cliente. Além disso, existem outros problemas sérios como má administração e fraude.

Os principais problemas relacionados a fraudes em um fundo de pensão incluem: empregador que não paga contribuições, apropriação indevida de ativos de investimento, pagamento indevido de serviços, abuso de posição, prestação de pensões ou pagamentos, negação em benefícios de pensão, taxas ocultas e manipulação de demonstrações financeiras. Visando solucionar esses problemas é que o time do Auctus decidiu desenvolver uma solução baseada em smart contracts para resolver os problemas relacionados a falta de transparência e, consequentemente, confiabilidade dos fundos de pensão.

As vantagens da blockchain e smart contracts

A tecnologia blockchain vem ganhando cada vez mais espaço na mídia, bem como sendo mais estudada, integrada a formas de pagamento tradicionais e, aos poucos, caindo no conhecimento do público geral. Apesar de atualmente esta tecnologia (que é o princípio de funcionamento do Bitcoin e outras chamadas “moedas digitais”) chamar mais atenção como uma forma de investimento devido à rápida valorização que vem ocorrendo recentemente, a blockchain possui um potencial de aplicação que vai muito além da transferência de valores.

O Ethereum, atualmente segunda maior criptomoeda (em valor total de mercado), consiste em uma plataforma descentralizada que possibilita a execução de smart contracts (ou “contratos inteligentes”) na blockchain. Os smart contracts são aplicações que são executadas exatamente como programadas, sem a necessidade ou a possibilidade de interferência de terceiros. A combinação de blockchain e smart contracts permite o desenvolvimento de aplicações descentralizadas, distribuídas e transparentes.

Com a plataforma desenvolvida dentro do projeto Auctus, será possível definir todas as regras de fundos de aposentadoria em smart contracts. O gerenciamento dos fundos de pensão na plataforma tornará as regras transparentes e acessíveis aos participantes e reguladores, não sendo possível alterar os termos ou premissas sem que seja criado um novo contrato. Os smart contract são gerados dinamicamente e registrados na blockchain do Ethereum no momento do cadastro do fundo, acabando com problemas de taxas escondidas, fraudes e alteração de regras de forma prejudicial ao participante. Além disso, a coleta de contribuições, contrapartida do empregador, cobrança de taxas administrativas e operações como transferência de fundos se tornam mais fáceis e transparentes, levando a uma maior segurança e à redução de custos relacionados ao gerenciamento.

diagrama

Próximos Passos

Atualmente estão sendo desenvolvidos uma ferramenta de simulação da plataforma e o primeiro fundo de aposentadoria utilizando smart contracts do mundo. O estágio do desenvolvimento pode ser acompanhado no Github.

Para se utilizar a plataforma, o Auctus está criando seu próprio token (uma nova “moeda digital” em cima da plataforma do Ethereum), que servirá para pagar por todos os serviços dentro da plataforma (como taxas administrativas ou para cadastro de novos fundos). A distribuição destes tokens, chamados de AUC, se dará em duas fases, sendo uma pré-venda (a ser realizada em outubro) com bônus para os os contribuintes e posteriormente, em meados de novembro, um ICO (initial coin offering), que será uma venda de tokens de maior porte.

A ferramenta de demonstração da plataforma será evoluída para uma versão alpha a ser lançada no início de 2018 e em breve o projeto iniciará a abordagem a fundos tradicionais de pensão, escritórios e consultorias legais e parcerias com outros projetos, especialmente os que estão sendo desenvolvidos também na blockchain.

As atualizações podem ser acompanhadas no site, Twitter, Facebook, Blog, Reddit, BTCtalk e Linkedin.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!