Atlas Quantum retira menção a arbitragem de bitcoin do site após notificação da CVM

Atlas Quantum retira menção a arbitragem de bitcoin do site após notificação da CVM
(Foto: Shutterstock)

A Atlas Quantum fez uma reformulação em seu site nos últimos dias e retirou todas as menções ao serviço de arbitragem automatizada de bitcoin.

As mudanças foram feitas após a notificação feita pela Comissão de Valores Imobiliários e mostra que ela, em teoria, não está mais oferecendo o serviço a novos clientes, embora o mantenha em operação para os antigos clientes.

Amplamente divulgada como uma empresa de investimento automatizado em bitcoin e criptomoedas, no site da Atlas está visível apenas seu serviço secundário: o de venda de Bitcoin.

Quem entra no site da empresa, vê uma mensagem de recepção que convida o cliente a comprar bitcoin “de maneira fácil e segura”. Antes da mudança, a mensagem dizia que o foco era “ampliação de patrimônio com nossa plataforma de arbitragem automatizada em Bitcoin”.

A página de arbitragem, que prometia uma “rentabilidade diária”, também for retirada do ar. No local, era explicado como funcionava o robô e o rendimento diário, mensal e anual:

“Nosso algoritmo de arbitragem, o Quantum, trabalha em mais de 11 corretoras internacionais de Bitcoin, identificando as melhores oportunidades de compra e venda da criptomoeda. Quando identifica a chance de realizar uma operação de arbitragem (isto é, comprar o Bitcoin onde está barato e vender onde está mais caro), ele executa automaticamente a ordem. Assim, operamos com uma estratégia segura, mas que ao mesmo tempo entrega rentabilidade e valor para os nossos clientes!”.

Na página “Sobre Nós” também houve mudanças: anteriormente era feito menção a “geração de patrimônio” e ao Quantum, o “algoritmo que faz arbitragem financeira com bitcoins, com rentabilidade diária”. Ambas fora retiradas e trocadas por: “Somos uma empresa de serviços financeiros que alia tecnologia com criptomoedas. Nosso principal produto é o Quantum.”

Questionada, a empresa disse que vem ajustando continuamente sua comunicação às determinações da CVM.

CVM e adiamento de saques

Na semana passada, a CVM determinou que a Atlas Quantum pare de ofertar títulos ou contratos de investimento coletivo.

O comunicado cita quatro empresas da Atlas e seu fundador, Rodrigo Marques. Conforme o texto, a remuneração do produto oferecido “estaria atrelada ao resultado dos esforços das empresas na negociação de criptoativos por meio do algoritmo intitulado ‘Quantum”’.

Caso a oferta seja mantida haverá a aplicação de uma multa diária no valor de R$ 100.000.

Após medida da CVM, houve um aumento nos pedidos de saques, que estão levando a atraso e aumento das reclamações por parte dos clientes.

Em nota, a empresa disse que, por questões técnica pontuais, “os saques na plataforma da empresa tiveram — por período temporário — aumento no prazo para serem efetivados” e complementou que “todos os usuários cujos saques tiverem atraso além do D+1 (24 horas) terão os rendimentos dos dias de atraso creditados com um bônus de 25%.”

Auditoria da Grant Thornton

Na sexta-feira (23), a empresa divulgou dados de um relatório assinado por Thiago Kurt de Almeida Costa Brehmer, um dos sócios da Grant Thornton, cuja conclusão é uma verificação de que a Atlas Quantum possui 15.226,1 Bitcoin e 34.793.966,2 de criptodólares, termo referente a uma cesta de stablecoins.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!