Atlas Quantum fecha cadastro para novos clientes de arbitragem com bitcoin

Atlas Quantum fecha cadastro para novos clientes de arbitragem com bitcoin
Foto: Shutterstock

A Atlas Quantum fechou os cadastros da plataforma de arbitragem e não está mais aceitando novos clientes. No site da empresa, existe agora apenas a opção para comprar Bitcoin.

Até poucos dias atrás, o site da startup continha apenas três avisos sobre a notificação da Comissão de Valores Mobiliários, que determinou a suspensão dos contratos de investimentos coletivos. Entre segunda (26) e terça-feira (27), foi colocada a seguinte informação:

Ainda não sou cliente. Mas quero me cadastrar. O que isso significa?‍ Para novos clientes no Brasil, estamos atuando apenas na compra de bitcoin”. 

Na prática, significa que não há novas pessoas entrando para utilizar o robô chamado Quantum que, segundo a empresa, faz as operações de compra e venda de criptomoedas.

Na mesma página, o primeiro tópico mantém que a CVM proibiu somente a veiculação de publicidade. “Essa medida requer a suspensão de qualquer comunicação de publicidade, incluindo propagandas de TV e mídia em geral”, diz o texto.

Ao mesmo tempo que a empresa não reconhece a proibição dos contratos coletivos de investimentos, ela suspendeu-os. Questionada, a empresa disse o seguinte:

“Atendendo às determinações da CVM, o Atlas suspendeu integralmente a oferta pública do serviço de arbitragem automatizada de Bitcoins”.

Conforme a nota enviada pela assessoria de imprensa, o serviço a antigos clientes não será afetado. Como forme de cumprir a determinação da autarquia, diz, para novos clientes está realizando apenas a venda de bitcoin.

Além disso, agora trabalha na “implementação do processo de separação da plataforma para clientes novos e antigos, que está em curso”.

Com a corrida de saques, a Atlas ampliou o prazo das retirada de Bitcoin de um para quatro dias. Segundo relatos recentes de clientes, a nova informação é que o prazo foi ampliado novamente e sem previsão de regularização.

Questionada, a empresa disse que passava por problemas técnicos mas não especificou quais eram. Apenas pediu desculpas e prometeu um bônus de 25% para cada dia de atraso dos saques.

Atlas Quantum, auditoria e CVM

Sobre o atraso, Bruno Peroni, o diretor institucional da Atlas, disse na sexta-feira (23) que o volume de saques decorrentes crise provocada pela notificação da CVM foi considerado relevante e bem acima da média.

A justificativa, segundo ele, é que os problemas foram causados nas exchanges pois a empresa está em um momento de “troca da titularidade das contas provocada pela mudança de Delaware, nos Estados Unidos, para as Ilhas Virgens”.

O aumento das retiradas dos últimos dias começou depois que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) notificou a empresa no dia 13 de agosto.

Na sexta-feira, a Atlas Quantum informou que um relatório sobre a empresa havia sido feito pela empresa de contabilidade Grant Thornon. O documento, que não é uma auditoria completa mas um PPA (Procedimentos Previamente Acordados), diz que o auditor encontrou 15.226,1 Bitcoins e 34.793.966,2 de criptodólares nas contas da empresa em diferentes exchanges.

A promessa de que a Atlas faria uma auditoria foi feita publicamente pela primeira vez em maio de 2018 pelo seu CEO, Rodrigo Marques.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!