5 sinais de que o mercado de ICO voltará a crescer

Todos os dias, mais e mais previsões pessimistas sobre o estado da indústria de criptomoedas estão aparecendo online. Os especialistas apontam várias razões para isso: as startups que possuem ICOs não têm produtos finalizados, o crescimento da criminalidade e o fortalecimento da regulamentação estatal. No entanto, o mundo das criptomoedas não tem intenção de desistir tão facilmente. O mercado de ICO está de pé.

Se você der uma olhada mais de perto na situação, no entanto, verá que a conversa sobre o fim iminente das criptomoedas é muito exagerada.

1. O mercado está em transição para uma nova fase de desenvolvimento

De acordo com dados do IBRC (ICOBox Blockchain Research Center), desde o início do ano, a capitalização do mercado das criptomoedas caiu quase três vezes, de US$ 768 bilhões para US$ 254 bilhões. No entanto, quando comparado com o início de agosto do ano passado, a capitalização de mercado dobrou, o que está claramente em desacordo com as afirmações sobre a sua iminente ruína.

Além disso, se você olhar para a atividade dos apoiadores no mercado de ICO, a tendência aqui é ainda mais positiva. De acordo com os cálculos do tokendata.io, as startups de blockchain mantiveram 435 ICO no ano passado e US$ 5,6 bilhões foram coletados. Conforme relatado pelo site britânico coinschedule.com, até o início de agosto deste ano, investidores haviam participado de 706 ICOs e comprado tokens no valor de quase US$ 18 bilhões. Esta virada de eventos tem pouca semelhança com um enfraquecimento da tendência.

Analistas do IBRC apontam evidências claras de uma nova fase de desenvolvimento no mercado de criptomoedas e projetos de ICO. O número de grandes apoiadores prontos para fornecer recursos significativos para projetos está crescendo. Por exemplo, de acordo com as estimativas da consultoria internacional PwC no início de julho deste ano, o valor médio coletado por ICO aumentou para US$ 25,5 milhões, o dobro do valor de 2017.

De acordo com Nick Evdokimov, especialista internacional no mercado de criptomoedas e fundador do ICOBox, o mercado de ICO está longe de esgotar seu potencial.

“Estamos em um estágio muito inicial de desenvolvimento, por isso é ridículo dizer que o navio partiu ou que a compra de tokens não é tão vantajosa. Pelo contrário, isso é apenas o começo”, observou Evdokimov.

2. O crescente interesse de instituições financeiras tradicionais no mercado de criptomoedas

Segundo Evdokimov, o aumento do número de instituições financeiras tradicionais que participam do desenvolvimento do mercado de criptomoedas é obviamente também um sinal positivo. O anúncio recente da Goldman Sachs sobre a formação de uma divisão para trading de criptomoedas e seus planos de lançar um serviço para o armazenamento de tokens para investidores institucionais é uma confirmação direta dessa tendência.

3. A criação de sites regulamentados pelo governo federal para negociação de contratos futuros de bitcoin

Um evento ainda mais sério ocorreu neste mercado em 3 de agosto, quando o Intercontinental Exchange (ICE), o maior pregão mundial de instrumentos financeiros, anunciou a criação da joint venture Bakkt. Em novembro deste ano, a Bakkt fornecerá aos traders uma plataforma “regulamentada pelo governo federal” para o comércio de futuros de bitcoin e um serviço de custódia para ativos criptografados.

Os parceiros da ICE nesse empreendimento são a Microsoft, Boston Consulting Group, Starbucks, principais fundos hedge, fundos de capital de risco e fundos especializados em projetos de criptomoeda, como Pantera Capital e Protocol Ventures. Embora a Starbucks tenha anunciado imediatamente que seu “Frappuccino® não pode ser comprado diretamente com bitcoins”, para todos os efeitos, a criptomoeda será aceita para pagamento após conversão para dólares americanos na plataforma Bakkt usando um aplicativo especial que está sendo desenvolvido pela Starbucks.

4. Os criptoativos estão começando a ser usados ​​como um veículo de investimento

No entanto, a decisão da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) de listar o primeiro fundo negociado em bolsa (ETF) de bitcoin na CBOE talvez tenha o efeito mais tangível, pelo menos a curto e médio prazo. Segundo algumas estimativas, essa decisão é esperada para setembro, e muitos analistas acreditam que a decisão pode muito bem ser favorável. Se isso acontecer, o fundo será negociado em uma bolsa que está completamente sob a supervisão dos reguladores financeiros dos EUA. Foi a falta de tal supervisão que serviu de base para a recusa da SEC de listar um ETF similar no final de julho de 2018.

A aparição deste fundo no mercado provavelmente daria um poderoso impulso ao desenvolvimento e uso de criptoativos como um veículo de investimento. Afinal de contas, no momento presente, os fundos de aposentadoria e as seguradoras, principais investidores institucionais, não têm o direito de depositar seu dinheiro em criptoativos. Portanto, uma decisão favorável da SEC abriria as portas para bilhões em financiamento potencial e startups um ímpeto ainda mais forte para entrar no mercado de ICO e emitir seus próprios tokens.

5. Interação entre startups e fundos e a chave para o uso generalizado de tokens como valores mobiliários

Especialistas acreditam que o trabalho de startups com fundos é um pouco mais eficaz de diversificar uma base de financiamento e garantir o gozo mais amplo de tokens por traders de varejo. Para o fim, os tokens que são fornecidos aos investidores, devem ser exibidos como tokens de utilidade, exigidos para a compra de produtos ou serviços da startup e não são sujeitos a regulamentação, ou como security tokens (valores mobiliários).

“Mais e mais ICOs estão aparecendo, estruturando seus tokens como security tokens sob a ajuda dos EUA e trabalhando com investidores credenciados internacionalmente”, acrescenta Nick Evdokimov.

Ele também recomenda que os investidores considerem uma possibilidade de trabalhar com ICOs de uma startup bem sucedida através de fundos.

“O fundo entra na startup como um comprador de token por atacado e recebe um bom preço. Se tomar essa decisão de forma independente, isso significa que ela fez sua própria pontuação interna, economizando, assim, algum esforço para o investidor. O fundo pode chegar a um acordo com a startup em termos absolutamente únicos, como hedge ou a realização de transações mistas com os fundos coletados. Então, preste atenção em quais fundos se juntaram à startup, e se você puder se envolver com um fundo em vez de se envolver diretamente, não perca sua chance”, recomenda o especialista do mercado.

Receba nossa Newsletter

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!