Hashrate da rede Bitcoin ultrapassa Quatro Exahash por segundo

0
192

Este mês, a hashrate da rede Bitcoin ultrapassou mais de quatro exahash por segundo adicionando mais um marco aos livros de recorde.

O Hashrate do Bitcoin

A mineração de bitcoin tem crescido bastante com muitos participantes e pools competindo para processar transações para que eles possam ganhar com isso. O processo de minerar evoluiu de mineração de indivíduos em seus computadores em casa para instalações de dados gigantescas localizadas em todo o mundo com milhares de máquinas.

Um ano e quatro meses atrás, o hashrate do bitcoin entrou na era de exahash quando a rede processou um exahash por segundo em janeiro de 2016. Agora o hashrate coletivo dos mineradores é quatro exahash por segundo ou 4,216,797,036 GH/s, superando os mais poderosos Supercomputadores do mundo.

Um exahash resolve 10^18 hashes (resolução de problemas com algoritmos) por segundo, o que significa que a hashrate da rede está processando além de velocidades de computação exascale em mais de quatro quintilhão por segundo. De acordo com a pesquisa, a tecnologia de computação exascale crescerá exponencialmente em 2018, e a rede bitcoin se tornou uma dessas tecnologias quando ultrapassou 1,5 exahashes por segundo em meados de 2016. A introdução de novos chips de mineração e o crescimento de pools de mineração levou muitas pessoas a acreditar que bitcoin é a rede computacional mais segura da história.

A receita da mineração está crescendo, a dificuldade da rede está alta, e há mais pools do que sempre teve

A ascensão do preço do Bitcoin ajudou a empurrar a mineração para novos níveis durante o ano passado. De acordo com a estatística, a receita de mineração é mais alta do que nunca, já que os mineradores acumulam recompensas e taxas de mineração. No entanto, a dificuldade da rede também é extremamente alta, tornando difícil para mineradores solo fazer um lucro sem entrar em uma pool. A dificuldade de rede do Bitcoin é uma medida de quão difícil é para os mineradores encontrar um hash abaixo do alvo indicado.

Há alguns anos atrás as pessoas pensavam que a distribuição dos hashrate estava muito concentrada entre algumas pools. Em particular, durante o inverno de 2014, o pool de mineração Ghash rompeu o limite de 51% da distribuição de hashrate várias vezes. No entanto, em 2017 há mais pools do que nunca  houve. Atualmente cerca de 22 pools estão comandando a maior parte do poder de mineração. Nenhum pool tem mais de 20 por cento da distribuição de hashrate, e há apenas seis pools significativamente maiores em comparação com todas as outras.

O poder da mineração do Bitcoin que fixa a força da Blockchain

Olhando para o hashrate do Bitcoin em comparação com outras altcoins usando proof-of-work pode-se ver que o poder de processamento do Bitcoin é exponencialmente maior. Por exemplo, o hashrate da rede de Litecoin é 5.695 GH/s, Ethereum é 23766 GH/s e o hashrate da Dash é 1.252 GH/s. O poder de processamento da rede Bitcoin é muito maior do que as três dessas redes alternativas combinadas. Fazendo a blockchain do Bitcoin não só a que funciona a mais tempo, mas também considerada como a blockchain mais segura de todas.